26 de jul de 2014

Missionário de 19 anos admite ter estuprado várias crianças de 4 a 10 anos em orfanato no Quênia, inclusive uma com HIV



O missionário americano de 19 anos, morador de Oklahoma, admitiu ter abusado sexualmente de até 10 crianças órfãs no abrigo onde estava vivendo em Nairobi, no Quênia.
Matthew Lane Durham foi preso na casa de seus pais, nos EUA, depois de fugir do país africano quando foi confrontado por suas possíveis ações sexuais.

A fundadora da instituição, Eunice Menja, disse que Matthew admitiu ter agredido de 4 a 10 órfãos com idades entre 4 e 10 anos, inclusive uma criança que tem vírus HIV.

Ele teria escrito uma confissão para a diretora, detalhando os abusos que ocorreram com meninos e meninas. De acordo com sua confissão por escrito, ele teria abusado pelo menos 3 crianças e fez as outras assistirem. Essa foi a alegação oficial no tribunal.




Ele escreveu, em uma das frases mais polêmicas de sua confissão: “Toda vez que eu tento ler a Bíblia ou orar, essa imagem me vem à cabeça”.

Seu advogado Stephen Jones, declarou: “Os eventos que ocorreram no Quênia nos últimos cinco dias, talvez seis dias, em que Matt esteve lá, francamente, revela algum tipo de vodu psicológico pseudo-tribal praticado, inclusive confiscaram o passaporte e o mantiveram em cárcere privado, mantendo-o sem alimentação por um dia”.

Essa foi a terceira viagem missionária de Matthew para orfanatos nos últimos anos. Ele ainda ajudou a levantar dinheiro em sua cidade para doá-lo às crianças.

Um dos zeladores da instituição disse que começou a perceber que os internos estavam se comportando de modo estranho e começaram a revelar, aos poucos, os abusos cometidos.

Ele está sendo acusado, oficialmente, de viajar apenas com a intenção de manter uma conduta sexual ilícita, abuso sexual agravado com crianças e tentativa de conspiração.

As autoridades locais no Quênia também estão investigando o caso, mas podem arquivar as acusações contra ele.



Fonte: DailyMail Foto: Reprodução / DailyMail
Reações:

0 comentários:

Postar um comentário