4 de dez de 2013

A autópsia esclareceu que Walker não morreu apenas com o impacto do acidente. O ator foi queimado até a morte, segundo o laudo. O homem que estava dirigindo o Porsche GT, Roger Rodas, morreu de múltiplas lesões traumáticas sofridas no momento da batida.



O departamento de polícia do condado de Los Angeles informou, nesta quarta-feira (4), a causa da morte do ator Paul Walker. Ele morreu por ferimentos após "lesões traumáticas e térmicas" decorrentes do impacto e explosão no acidente. O resultado da autópsia foi divulgado em primeira mão pelo TMZ, site especializado em celebridades.
A autópsia esclareceu que Walker não morreu apenas com o impacto do acidente. O ator foi queimado até a morte, segundo o laudo. O homem que estava dirigindo o Porsche GT, Roger Rodas, morreu de múltiplas lesões traumáticas sofridas no momento da batida.
O legista Ed Winter garantiu que resultados toxicológicos serão divulgados em seis a oito semanas. Segundo ele, em relato ao jornal "Los Angeles Times", os dois morreram "em questão de segundos".
Os dois só foram reconhecidos por causa dos registros das arcadas dentárias. Ainda não foram revelados os detalhes da causa do acidente. A polícia já havia descartado a hipótese de que Walker estivesse em um racha quando o carro bateu, no sábado (30). Um comunicado relatou que o Porsche Carrera GT era o único carro no local naquele momento.
"A velocidade foi um fator no acidente", disse o gabinete do xerife de Los Angeles à rede CNN. Um comunicado das autoridades afirmou que o resgate chegou quando o veículo ainda estava pegando fogo. Após apagarem as chamas, os bombeiros encontraram dois ocupantes, que foram declarados mortos no local. Walker e Rodas estavam a 140 km/h, segundo fontes que investigam o caso, ouvidas pela revista "People".

O site da Reach Out Worldwide afirmou que o evento do sábado, no qual Walker estava antes de morrer, era destinado a beneficiar as vítimas do tufão Haiyan, nas Filipinas. O ator criou a entidade em 2010 para ajudar pessoas afetadas por catástrofes naturais.
Homenagens
Vin Diesel passou na noite da segunda-feira (2) pelo local do acidente. Ele era parceiro de cena na franquia de filmes "Velozes e furiosos" e agradeceu aos fãs que estavam no "memorial". Para fazer o discurso, durante o qual se referiu ao amigo como "irmão" e "um anjo no céu", ele usou o microfone de um carro de polícia.
"Eu só quero dizer a todos vocês que, se meu irmão estivesse aqui neste momento e visse todo este amor que vocês estão trazendo. Se ele pudesse ver por si mesmo todos vocês que apareceram para demostrar seu amor neste momento difícil...", afirmou Diesel.
Filmes inéditos
A famosa saga automobilística, que revelou o ator, arrecadou quase US$ 2,4 bilhões nas bilheterias de todo o mundo. Walker interpretou o papel de Brian O'Conner, um ex-policial envolvido em corridas clandestinas de carros. Mark Wahlberg, Christian Bale e Eminem foram considerados para protagonista antes de o ator ser escolhido.
Este ano, além de “Velozes e furiosos 6”, o ator apareceu ainda em mais dois filmes independentes, que tiveram lançamento limitado: “Pawn shop chronicles”, no qual atuou ao lado de Elijah Wood e Norman Reedus, e “Vehicle 19”, do qual também foi um dos produtores. Além de “Hours”, que estreia nos EUA neste mês, ele deixa outro filme inédito, o policial “Brick mansions”, com roteiro de Luc Besson e direção de Camille Delamarre. O lançamento está previsto para 2014, sem data confirmada.

http://g1.globo.com
Reações:

0 comentários:

Postar um comentário