25 de mar de 2014

O Ritual “Cremation of Care”: sacrifício de crianças a Molóch


Alex Jones consegue filmar o ritual de magia negra feito pela elite global onde oferecem crianças a Moloch em um ritual de depravação:

Saiba mais sobre o Bohemian Grove

Bohemian Grove é um acampamento de 2.700 acres (1.100 ha), localizado em Bohemian Avenue 20.601, em Monte Rio, na Califórnia, pertencente a um clube privado de homens sediado em San Francisco conhecido como Bohemian Club. Em meados de Julho de cada ano, o acampamento hospeda por três semanas alguns dos homens mais poderosos do mundo.
Desde 1899, atende apenas os membros masculinos do "Bohemian Club", que são recrutados principalmente da elite política, economica, artistica e da mídia dos Estados Unidos para um retiro de 14 dias.

O Clube

O Bohemian Grove inclui muitos artistas, em particular músicos, bem como muitos líderes de negócios, oficiais de governos (inclusive alguns presidentes dos Estados Unidos), e altos executivos dos meios da comunicação social.
Como uma medida da exclusividade do clube, o sócio é informado que a lista de espera é de 15 para 20 anos, embora a curto prazo, o processo de sócio de três anos seja possível, mas dois membros atuais devem ser o patrocinador do membro em perspectiva. Uma taxa de iniciação de 25000 dólares é cobrada desde 2006, além da taxa de sócio anual. Permite-se que membros eleitos possam converter a taxa de iniciação em pagamentos anuais iguais até que eles consigam a idade de 45 anos. Depois de 40 anos como sócio, os homens ganham a posição de “Velha Guarda”, dando-os assentos reservados nas conversações diárias do Bohemian Grove, bem como outras prerrogativas. Os membros também podem convidar hóspedes para o Bohemian Grove, embora estes hóspedes sejam sujeitos a um procedimento de proteção rigoroso.
Desde a fundação do clube, o mascote do Bohemian Grove é uma coruja, símbolo do conhecimento. Uma estátua de coruja de 40 pés (12 m), oca feito de concreto sobre o aço à cabeceira do lago no Bosque; este Santuário Coruja foi concebido pelo escultor e presidente do clube por duas vezes, Patigian Haig, e construído em 1920. Desde 1929, o Santuário Coruja tem servido como pano de fundo a cerimônia "Cremation of Care" (“Cremação anual do Cuidado”).
O santo de patrono do Clube é João Nepomuceno, que segundo a lenda diz; preferiu a morte sofrida nas mãos de um monarca Boêmio, a revelar os segredos confessionais da rainha. Uma grande estátua de St. John em mantos clericais com o seu índicador a tocar por cima dos seus de lábios, simboliza o segredo guardado pelos visitantes do Bohemian Grove e da sua longa história. [fonte]

Saiba mais sobre Moloch

Moloch (representando semita מלך mlk , uma raiz semítica que significa "rei") – também escrito como Moloque , Molekh , Molok , Molek , Molock , Moloc, Meleque, Milcom ou Molcom -conhecido como Malcã, conforme os textos bíblicos, é o nome do deus ao qual os amonitas, uma etnia de Canaã (povos presentes na península arábica e na região do Oriente Médio), sacrificavam seus recém-nascidos, jogando-os em uma fogueira. Também é o nome de um demônio na tradição cristã e cabalística. Moloque, é simbolo do fogo purificador representado como um touro materialmente manifesta o conflito e a escuridão do mundo do homem.
Segundo as escrituras, os povos amorreus, membros de uma tribo à leste do Jordão, descendentes de Amon, que derrotaram os gigantes de Zomzomins e ocuparam a região por volta de 1900 a.C., costumavam adorá-lo, sacrificando crianças em seu louvor, para obterem boas colheitas e vitórias nas guerras. Nós rituais de adoração havia atos sexuais e sacrifícios de crianças. Estas eram jogadas em uma cavidade da estátua de Moloch, onde havia fogo consumindo assim a criança viva. Ele era, ao mesmo tempo, um fogo purificador, destruidor e consumidor. A aparência de Moloch era de corpo humano com a cabeça de boi ou leão, no seu ventre havia uma cavidade em que o fogo era aceso para consumir sacrifícios. Muitos povos adoravam Moloch, porém com o fortalecimento do povo Hebreu e de outros reinos, estes povos foram desaparecendo, deixando o costume de adoração a Moloque. 
clip_image001Pelas ordens de Deus dadas ao povo hebreu através de Moisés, era proibido, expressamente, a adoração a Moloque, bem como também o sacrifício de crianças a ele, sendo este severamente punido (Lv 20,2-5). 
Os gregos antigos identificaram este deus cananeu, adorado pelos cartagineses com sacrifícios de bebês, com Cronos. A adoração a Moloch era praticada pelos cananeus, fenícios culturas e afins em África do Norte e do Levante. Como um deus adorado pelos fenícios e cananeus, Moloch tinha associações com um tipo particular de propiciatório sacrifício de crianças pelos pais. 
 
Em figuras no livro de Deuteronômio e no Livro do Levítico Moloch aparece como uma forma de idolatria (Levítico 18:21: "E tu não deixar nenhum dos teus passagem de sementes pelo fogo a Moloch"). Na Bíblia hebraica, Gehenna era um vale de Jerusalém, onde apóstata israelitas e os seguidores de vários baalins e deuses Caananite, incluindo Moloch, sacrificaram seus filhos pelo fogo (2 Cr 28:3, 33:6;.. Jer 07:31, 19:2-6). 
Moloch era uma divindade adorada pelos idólatras israelitas. O hebraico Moloque não representa a pronúncia original do nome, mais sim do que o grego vocalização Moloch encontrada na LXX e nos Atos (vii, 43). O título primitivo deste deus foi muito provavelmente Meleque, "rei", as consoantes do que veio a ser combinados através de escárnio com as vogais da palavra bosheth , "vergonha". Como a palavra Moloch (Moloque) significa rei, é difícil para determinar em vários lugares do Antigo Testamento se ele deve ser considerado como o próprio nome de uma divindade ou como um simples apelativo. As passagens do texto original em que o nome significa, provavelmente, para a de um deus são Lev. , xviii, 21; xx, 2-5; III (AV I) Reis, xi, 7; IV (II) Reis, XXIII, 10; Isaías 30:33 ; 57:9 ; Jeremias 32:35 . A principal característica de Moloch culto entre os judeus parece ter sido o sacrifício de crianças, e a expressão usual para descrever esse sacrifício foi "passar pelo fogo", um rito realizado após as vítimas tinham sido condenados à morte. O centro especial de tais atrocidades foi apenas fora de Jerusalém, em um lugar chamado Tofete (provavelmente "lugar de abominação"), no vale do Geennom . Segundo a III (I) Reis, XI, 7, Salomão erigiu um " templo "para Moloch "no monte, defronte de Jerusalém", e por esta razão ele é às vezes considerado como o monarca que introduziu o culto ímpio em Israel. Após o rompimento, vestígios da adoração a Moloch apareceram em Judá e Israel. O costume de usar uma criança para passar pelo fogo parece ter sido comum no Norte Unido [IV (II) Reis , XVII, 17; Ezech . xxiii, 37], e que cresceu gradualmente nas regiões Sul, encorajados pelo exemplo real de Acaz (2 Reis 16:3) e Manasses [IV (II) Reis , XVI, 6] até que se tornou predominante na época do profeta Jeremias (Jerem. xxxii, 35), quando o rei Josias suprimiu o culto de Moloch e contaminada Tofete [IV (II) Reis , XXIII, 13 (10)]. Não é improvável que este culto tenha revivido sob Joakim e continuou até o cativeiro babilônico .
Na base do Hebreu leitura de III (I) Reis, xi, 7, Moloch tem sido muitas vezes identificado com Milcom, o nacional deus da amonitas , mas esta identificação não pode ser considerado como provável como mostrado pelas versões gregas. Várias tentativas foram feitas para provar que em sacrificar seus filhos a Moloch os israelitas simplesmente pensavam que estavam oferecendo-os em holocausto ao Senhor. Em outras palavras, o Meleque a quem a quem era oferecida a criança como sacrifício era um o Senhor com outro nome. Para defender esse ponto de vista apelo é feito, em particular, Jeremias 7:31 e 19:05 , e Ezequiel 20:25-31. 
Mas esta posição é, no mínimo improvável pois os textos podiam muito bem ser interpretados de outra forma, e os profetas expressamente tratavam o culto de Moloch como estranho e uma renegação da adoração do Deus verdadeiro . As ofertas pelo fogo, a identidade provável de Moloch com Baal, e ao fato de que, em Assíria e Babilônia Malik, e em Palmyra Malach-bel, eram deuses-sol, sugeriram a muitos que Moloch era um fogo ou deus-sol.
Como alguns outros deuses e demônios encontrados na Bíblia, Moloch aparece como parte da demonologia medieval, como um príncipe do Inferno. Moloch encontra prazer especial em fazer chorar as mães, especializando-se em roubar os seus filhos.

Moloch ou Molegue, conhecido como príncipe da "terra das lágrimas" no inferno. Recolhe com alegria, lágrimas de mães. É um demônio monstruoso, gotejando o sangue de crianças e as lágrimas de suas mães. Tem cabeça de bezerro, coroa real, e braços esticados para receber suas vítimas humanas. 
Segundo estudos, os sacrifícios eram feitos quando um pai pegava o seu filho primogênito, levava-o ao altar do seu "deus" abria seu filho, tirava o seu coração e comia-o na frente do "deus". 
Algumas pessoas não utilizam a palavra "moleque" porque dizem que ela derivou do nome desse demônio. Moloch foi usado figurativamente em Inglês literatura de John Milton 's Lost Paradise (1667) para Allen Ginsberg "s Howl "(1955), para se referir a uma pessoa ou coisa exigente ou exigir um sacrifício muito caro.
 [fonte

http://www.verdademundial.org


Reações:

0 comentários:

Postar um comentário