12 de abr de 2015

"Starry Eyes": Um Filme Sobre a Elite Oculta de Hollywood - E como Ela Realmente trabalha

Posted by Semeando Paz on 12.4.15No comments

"Starry Eyes" é um filme de terror sobre uma atriz que se mete com a elite de Hollywood. Através da metamorfose da personagem principal, o filme descreve como o mundo do entretenimento realmente funciona: via rituais, sacrifícios de sangue e iniciação oculta.

Aviso: Este artigo trata de assuntos que podem ser perturbadoras para alguns. Além disso, spoilers colossais à frente!

"Starry Eyes" é um filme de terror típico: assustador, sangrento e repugnante. Mas a parte mais perturbadora do filme não é o sangue e a violência: É o fato de que há verdade, uma verdade obscura que muitos de nós preferimos ignorar. O filme coloca tudo lá, no entanto, bem na nossa cara, à medida que ele descreve graficamente todas as implicações terríveis. "Starry Eyes" coloca na tela o lado escuro e depravado da indústria do entretenimento e as motivações doentias das pessoas que a regem. Ele expõe os espectadores à obsessão da elite com a exploração sexual, os sacrifícios de sangue e rituais satânicos enquanto eles deitam na riqueza e admiração social.

Enquanto muitos veem "Starry Eyes" como um filme puramente ficcional comentando sobre o desespero de artistas sedentos, aqueles que estão "cientes do que acontece" percebem que uma grande parte desse terror é baseado em fatos. O filme descreve com bastante precisão o processo do que acontece nos níveis mais altos da indústria do entretenimento, onde abuso, exploração, controle mental, rituais de ocultismo e sacrifícios de sangue transformam aspirantes a artistas em fantoches traumatizados. Vamos analisar "Starry Eyes" e ver como ele retrata a indústria do cinema.

Uma Garçonete Cansada de Atender

Sarah Walker é uma típica atriz trabalhadora que vive em Los Angeles e quer se tornar uma grande estrela de Hollywood. A fim de pagar as contas, ela atende em um restaurante local - um trabalho que ela claramente odeia.

  Sarah trabalha no Big Taters, um restaurante ruim, onde as garçonetes
 vestem uniformes feios e cantam canções estúpidas para os clientes.
 
Para a decepção de seu chefe, Sarah não é focado em seu trabalho, mas fica constantemente em seu telefone à procura de retornos de ligação de empresas de produção. Em casa, Sarah encontra uma intrigante chamada online para elenco.

  O casting é para um filme chamado The Silver Scream. Durante todo o filme,
 a empresa de produção insiste que a atriz seja o "seu verdadeiro eu". Cego pela 
ambição e pronto para fazer qualquer coisa para se tornar uma estrela, "seu 
verdadeiro eu" é bastante feio... e ele se tornará mais feio ainda.
 
No teste, as atrizes aspirantes que tentam entrar no papel principal, todas são tratadas como lixo, e a maioria delas sai em lágrimas. Embora ela tenha dado seu tudo, Sarah também não consegue impressionar os entrevistadores que a fazem sentir-se como uma ninguém sem talento. Sarah então corre para o banheiro mais próximo onde ela se debruça em lágrimas.

 Toda vez que Sarah não consegue algo, ela puxa um punhado de cabelo de seu 
couro cabeludo. O cabelo de Sarah vai se tornar, ao avançar do filme, um símbolo 
de sua transformação de uma garota normal a um fantoche sem alma da indústria.

Quando ela sai do banheiro, Sarah é atendida por um dos entrevistadores que ficou impressionado com essa demonstração perturbadora de raiva e auto-mutilação. Ela é trazida de volta para a sala do teste - mas ela não é solicitada a falar nada. Eles apenas querem vê-la ter aquele ataque violento novamente. Embora Sarah fique relutante em puxar seu cabelo apenas para que estranhos contemplem, eles dizem para ela: "Você tem a minha atenção" e é lembrada sobre o fato de que um milhão de outras meninas poderiam facilmente tomar o lugar dela. Durante todo o filme, Sarah é constantemente lembrada de que um milhão de meninas estão esperando na fila para tomar seu lugar e que qualquer atenção por parte dos produtores todo-poderosos, não importa o quão estranhos ou degradantes sejam seus pedidos, é um privilégio raro. Portanto, os entrevistadores só querem vê-la puxar seu cabelo, e nada mais. Então Sarah faz.

 Sarah puxa seu cabelo para os entrevistadores. A empresa de produção não
 está interessada em talento - eles querem encontrar alguém que tenha "algo" 
especial dentro - aquele desespero que pode ser explorado no futuro.

O teste rapidamente deixa de ser sobre um papel em um filme, e se transforma em um espetáculo de extrema degradação e submissão, um prelúdio para a provação que ela deve se submeter para ser um iniciado da elite oculta. Embora o teste termine com ela tendo convulsão no chão sob os olhos frios dos entrevistadores, Sarah deixa o edifício se sentindo feliz: Ela chamou a atenção da empresa. Ela recebe uma ligação de retorno e o processo de transformação começa verdadeiramente.

O Segundo Teste

Embora ela seja tratada com total desprezo pela produtora, Sarah está animada para ter um segundo teste. Ela é informada de que a única razão pela qual ela tenha recebido um segundo teste foi por causa de sua exibição em que puxa o cabelo - e nada mais. Mais uma vez, eles estão enfatizando o fato de que não se trata de talento, mas o que ela está disposta a fazer para ser uma estrela.

  No segundo teste, as coisas são muito diferentes. Ela entra 
em um quarto escuro com uma luz apontada para ela.

No segundo teste, Sarah usa um vestido de cor pálida, que simboliza o seu estado de pureza/inocência. Vamos ver mais tarde que o filme segue o mesmo código de cor que vemos em outros vídeos de música e filmes analisados ​​no KIP: O branco (ou uma cor pálida) simboliza a pureza/inocência, vermelho representa transformação/sacrifício, e preto a iniciação. Inúmeros artistas têm aparecido em vídeos que contam simbolicamente a narrativa "boa menina se tornou má" e todos eles passam por essa sucessão de cores. "Starry Eyes" é um pouco de um olhar nos bastidores do que realmente acontece durante essa metamorfose.

Quando Sarah entra no quarto escuro no segundo teste, ela é imediatamente dita para se despir - embora o papel não exija nudez. Mais uma vez, não é sobre o papel, é sobre algo muito além disso. Trata-se de levar uma garota para o lado negro.

 Eles dizem para ela:

"Deixe suas inibições irem embora. Se você não conseguir se soltar totalmente, como você algum dia poderá se transformar em algo mais?"
A luz, em seguida, começa a piscar e Sarah parece passar por um processo semelhante ao controle mental e a possessão demoníaca. Cada vez que a luz pisca, vemos Sarah ou fazendo uma cara demoníaca ou fazendo cara de sensação de prazer físico.

 Durante uma fração de segundo, vemos essa coisa aparecer na tela
 enquanto a luz pisca. Mais tarde iremos ver esses misteriosos homens
 encapuzados nos rituais de ocultismo da empresa de produção.

No final do processo, Sarah aparece completamente consumida. Ela então percebe o pingente usado por um dos entrevistadores.

 O entrevistador usa um pentagrama com uma linha passando por ele.

Em suma, isso não foi um teste, foi uma sessão de controle mental hipnótica misturada com um ritual oculto. Bem-vindo à Astraeus Pictures.

Astraeus Pictures

Quando Sarah diz a seus amigos que ela fez o teste para Astreus Pictures, ela é dita que "eles são legítimos" e um "bom negócio". Em outras palavras, é uma dos poucas empresas de produção que produzem grandes sucessos. O simbolismo associado à Astraeus Pictures sutilmente nos diz sobre as verdadeiras forças por trás da indústria do cinema.

Primeiro, Astraeus é o nome de um deus Titã da mitologia grega e é conhecido sobretudo por ser o deus do crepúsculo. Como você deve saber, o crepúsculo é o que precede imediatamente a escuridão da noite... da mesma forma que essa empresa de produção traz escuridão para o mundo.

O logotipo da Astraeus também é bastante revelador: É a metade superior de um hexagrama unicursal.

  Esquerda: O logotipo da Astraeus Pictures. 
Direita: Um hexagrama unicursal completo.

O hexagrama unicursal é um símbolo importante na magia ritualística e sociedades secretas ocultistas. É também o principal símbolo associado com a filosofia de Aleister Crowley: Thelema.

O hexagrama unicursal é assim chamado porque ele pode ser desenhado de um "jeito unicursal"- isto é, em um movimento contínuo. Isso é significativo quando formam figuras em magia ritualística, onde uma linha contínua é preferível a um movimento interrompido. 

O símbolo foi elaborado pela Golden Dawn, e, mais tarde adaptado por Aleister Crowley como um dispositivo de significado pessoal. Ele é frequentemente usado por Thelemitas como um sinal de identificação religiosa e reconhecimento.

– Symbol Dictionary, Unicursal Hexagram
 
Hoje, a Thelema é ministrada por uma sociedade secreta que é extremamente influente na indústria do entretenimento: a Ordo Templi Orientis (OTO). É uma das principais forças por trás do lado oculto e ritualístico de Hollywood. A OTO também é sutilmente referida em um outro filme que também é "revelador", "De Olhos Bem Fechado" de Stanley Kubrick (leia a série de artigos sobre o assunto aqui).

Uma parte importante dos ensinamentos da OTO é a magia sexual - e nós definitivamente testemunhamos alguma coisa disso em "Starry Eyes".

A Metamorfose

Depois de um segundo teste bem sucedido (em que ela tinha que ficar nua e ser exposta a uma força do mal), Sarah recebe um privilégio: uma reunião com o produtor. Antes de sair de seu apartamento, o filme enfatiza o vestido vermelho que ela está vestindo: todos os seus amigos comentam sobre ele, um deles ainda acrescenta que "é um pouco demais".

  Em códigos de cores da elite oculta, o vestido vermelho significa 
tumulto, metamorfose e sacrifício. O vestido indica que essa reunião
 é mais um passo na sua iniciação.

Na reunião, o produtor da Astraeus Pictures diz a Sarah o que todos os produtores dizem às jovens meninas impressionáveis ​​quando querem atraí-las para um contrato de venda de alma:


 "Nós entrevistamos um monte de mulheres jovens neste edifício, mas poucas conseguiram chegar a esta sala. Alguns grandes nomes passaram por aqui, desde muito tempo."
 

 Isso implica que a forma de funcionamento da elite de Hollywood já se arrasta por décadas.


 "O papel de Celeste é realmente uma grande coisa para uma jovem atriz, sem outros créditos para seu nome. Seu rosto vai estar em um pôster, um cartaz em uma parede, uma parede no hall de entrada, num hall de entrada de um cinema."
 

Para uma menina que trabalha no Big Taters, ouvir essas palavras é o que ela esteve esperando por toda a sua vida - e o produtor sabe disso. Em seguida, ele a toca de forma inadequada, e as coisas se tornam mais reais.

  Quando o produtor começa a por a mão no vestido de 
Sarah, ela tem um gostinho do verdadeiro preço da fama.

Quando Sarah tenta fazê-lo parar, perguntando-lhe se ele quer que ela leia algumas falas, ele responde:
 "Sarah, ESTE é o teste. Você está às portas. Tudo que você precisa é que eu vá abri-las para você."
 

Mais uma vez, ninguém está interessado em que Sarah mostre seus talentos de atuação. O "teste" é mais uma vez sobre ela ser degradada em ceder seu corpo. Sarah se recusa aos avanços e sai da sala.

Seu retorno à realidade, no entanto, é extremamente difícil. Ela tem que pedir para conseguir seu emprego de volta no Big Taters e, por coincidência, ela também é dita que cerca de um milhão de meninas gostariam de ter seu emprego de garçonete estável. Ela, então, lamenta ter saído do quarto do produtor e começa a racionalizar fazendo o impensável:

"Eu meio que sinto que estou vendendo minha alma já. Assim, ela poderia muito bem ser para algo que eu amo."
 

A Iniciação

Sob a influência de drogas e, desde o segundo teste, com algo maligno crescendo dentro dela, Sarah decide voltar para ver o produtor. Para essa reunião, ela usa um outro vestido simbólico.

  Para o seu segundo encontro com o produtor, Sarah
 usa um vestido preto. A boa menina se tornou má.

Quando Sarah fica cara-a-cara com o produtor, ela percebe que não se trata simplesmente de "dormir com ele" para seu prazer pervertido pessoal. Há uma dimensão metafísica para o processo. Trata-se de submissão e de iniciação a uma ordem oculta através de ritual. Quando Sarah cai de joelhos perante o produtor, ele diz:

"Será que você abre mão de seus olhos por um novo par de olhos, olhos que podem enxergar com a nossa visão? Você abriria mão do seu corpo para se tornar um vaso para a nossa voz, a minha voz? Você daria sua antiga vida por uma vida nova gloriosa?"
 

Dentro deste juramento está  resumido todo o processo de transformação que transforma um artista regular em um completo "fantoche Illuminati". Ao "renunciar" seus olhos por um novo par, Sarah desiste de sua capacidade de perceber a realidade, a fim de só enxergar o que "eles" querem que ela enxergue. É por isso que também todos os peões da indústria constantemente escondem um de seus olhos em ensaios fotográficos? (Veja a série Imagens Simbólicas para ter centenas de exemplos.) Ao dar-se o seu corpo para se tornar um vaso para a sua "voz", ela voluntariamente desiste de qualquer tipo de valores e integridade artística que ela poderia ter tido para se tornar nada mais que uma concha vazia empurrando as mensagens da elite. Finalmente, ao dar sua antiga vida, ela apaga completamente seu próprio passado para se transformar em uma nova alter-persona, uma criação artificial que é completamente programada pela elite.

Para tudo isso, Sarah responde "sim". Ela então começa a dar prazer ao produtor... e as coisas ficam mais estranhas.

  Enquanto o produtor segura firmemente a cabeça de Sarah, 
vemos um pentagrama em sua mão - indicando a importância 
ritualística desse gesto de submissão.

Olhando para os céus com um olhar louco em seus olhos, o produtor diz:

 "A porta de entrada está aberta Sarah. Tudo que você tem a fazer é estar disposta a entrar. Matar seu velho eu, Sarah".
 

A palavra "porta de entrada" tem uma conotação espiritual visto que Sarah também se abre para o que parece ser possessão demoníaca.

  Enquanto isso está acontecendo, esse cara aparece 
do nada, o que confirma que este é um ritual oculto.

O Sacrifício

Os dias após o ritual perturbador são extremamente dolorosos para Sarah. Ela fica convulsionando fortemente e sente como se estivesse morrendo. Ela também perde constantemente o cabelo, que, como dito anteriormente, representa o seu verdadeiro eu.

  Sarah está se transformando no pior pesadelo de uma aspirante 
a atriz obcecada com sua imagem corporal. Essa mudança física 
representa a podridão de seu ser-interior, sua própria alma.

Enquanto na dor e morrendo por dentro e por fora, Sarah é visitada por alguém da Astraeus, que mostra a ela uma visão.

  Ela se vê como uma estrela de cinema, vestida como se estivesse no
 tapete vermelho do Oscar, completa com um pentagrama pingente em 
volta do pescoço, sinal de ela ser um verdadeiro peão da indústria.

Quando essa visão desaparece, ela ainda está com dor e mais feia do que nunca. Ela, então, recebe um telefonema do produtor, que diz:

 "Você pode ir para o chão e ser esquecida para sempre, ou você pode renascer. Você esperava que fosse indolor, que seria fácil, que você simplesmente acordaria uma manhã com tudo que você quis colocado para fora na sua frente? Eu lhe disse Sarah, sonhos exigem sacrifícios. E nós também."
 

Sarah não só precisa sacrificar sua própria alma para se tornar "um deles". Eles exigem um sacrifício de sangue. Sarah, portanto, passa a matar todos os seus amigos de um jeito extremamente violento. Quando o ato sangrento é realizado, homens com vestes imediatamente aparecem e a levam para o ritual final.

O Renascimento

Após o sacrifício de sangue, um grupo de pessoas ricas da elite de Hollywood se reúnem para celebrar o ritual do renascimento de Sarah.

  Reunidos em um círculo, os homens e mulheres "respeitáveis" repetem 
"Viva Astraeus", enquanto Sarah está sendo enterrada debaixo do pentagrama.

O conceito de morte e renascimento simbólico é de extrema importância em sociedades secretas ocultistas. Nos círculos mais esotéricos desde a Antiguidade, candidatos a iniciação são colocados para passar por um período de "morte simbólica", onde eles são mantidos no escuro, em seguida, "nascem de novo". Esse conceito também é central no Cristianismo quando Jesus Cristo ressuscitou dos mortos depois de três dias no túmulo. A história de Jonas emergindo do grande peixe também é uma parte da literatura judaica e islâmica. No entanto, no caso da Astraeus Pictures, o iniciado não está à beira de um grande despertar espiritual, ele é um mero fantoche atraído para um ritual satânico para o lucro e o prazer de seus manipuladores. A elite prospera em bater em arquétipos antigos e poderosos e corrompê-los para seus próprios propósitos nefastos.

No final do ritual, os produtores berram "Ela está pronta para se transformar!". No dia seguinte, Sarah renasce.

  Sarah emerge da terra completamente nua, como um bebê
 recém-nascido. Ela também está completamente careca, o que
 indica que seu antigo eu completamente se foi.

  A transformação de Sarah é tão profunda 
que ela ainda recebe um novo aniversário.

  De volta para casa, a colega de quarto de Sarah a vê deitada na cama com
 um santuário à luz de velas assustador para estrelas de cinema do passado 
que passaram pela mesma "transformação" que ela.

A companheira de quarto percebe que os olhos de Sarah mudaram - ela agora tem o novo par de olhos que tem a visão somente da elite. Sarah diz a sua companheira de quarto "As coisas estão mudando para mim", e prossegue para matá-la - a última remanescente da sua vida passada. Sarah, em seguida, abre o seu presente de aniversário de Astraeus.

 Na cena final do filme, Sarah coloca a peruca que ela recebeu como um 
presente. Representa seu novo falso alter-persona. Ela também coloca seu 
pingente pentagrama - sinal de ela ser uma estrela iniciada da indústria.

Conclusão 

Se você já leu os artigos anteriores deste blog, você provavelmente percebeu que "Starry Eyes" basicamente engloba tudo o que já foi discutido aqui. Ao descrever a transformação de Sarah nas mãos da elite de Hollywood, o filme coloca na tela a verdadeira natureza daqueles que controlam a indústria do entretenimento... e do mundo. Ao transmitir claramente o desprezo total da elite para a pessoa comum e sua obsessão com rituais corrompidos, exploração, degradação e sacrifício de sangue, o filme expõe o "verdadeiro eu" da indústria, da mesma forma que Sarah expõe seu "verdadeiro eu" para os produtores. Se você ainda acredita que isso é tudo ficção e que o que foi dito aqui é tudo uma conspiração maluca, você pode estar sofrendo um caso agudo de cegueira.

Fonte: VC
http://danizudo.blogspot.com.br/ 
Reações:

0 comentários:

Postar um comentário