29 de jan de 2015

PERIGO: ESTUDO MOSTRA QUE PÍLULAS ANTICONCEPCIONAIS ESTÃO VINCULADAS A TUMORES CEREBRAIS

Posted by Semeando Paz on 29.1.15No comments

Raymond Forbes-Getty Images / fotostock idade RM
Certas formas de controle de natalidade pode promover o crescimento de um tumor cerebral rara.

Tomar qualquer medicamento é uma questão de pesar os benefícios e riscos, e quando se trata de controle de natalidade, as mulheres passam a ter mais um fator a considerar.

Dr. David Gaist, neurologista do Hospital Universitário de Odense e da Universidade do Sul da Dinamarca, e seus colegas descobriram que as mulheres que tomam contraceptivos hormonais - aqueles que contêm estrógeno, progesterona ou uma combinação de ambos - apresentaram maiores taxas de um tumor cerebral raro conhecido como glioma . Seus resultados, publicados quinta-feira no British Journal of Clinical Pharmacology , levantam questões sobre a ligação entre contraceptivos orais e câncer no cérebro, mas ainda não deve ser interpretada como uma razão para parar de tomar o controle da natalidade, diz Gaist.


Usando dados de registros nacionais da Dinamarca de registros de saúde, casos de câncer e prescrições, Gaist zerado com as mulheres com idade entre 15 anos a 49 anos com diagnóstico de glioma, e, em seguida, analisar-se se eles foram prescritos contraceptivos e por quanto tempo. No geral, as mulheres que usaram contraceptivos hormonais, a qualquer momento de suas vidas apresentaram um risco 50% maior de desenvolver os tumores cerebrais, em comparação com aqueles que não tinham usado. E as mulheres que usaram o controle de natalidade para mais de cinco anos quase dobrou o risco de câncer. Ainda assim, diz Gaist, desde gliomas são raros, mesmo uma duplicação de um evento raro ainda é um pequeno risco.


"Se você olhar para as mulheres na Dinamarca com idade entre 15 e 49 anos, cerca de cinco em 100.000 experiência que o diagnóstico terrível em um ano, e esse número inclui as mulheres sobre os contraceptivos hormonais, por isso é um evento muito raro."

Mas ele admite que foi "um pouco surpreso" com os resultados, uma vez que estudos anteriores sugeriram que os hormônios sexuais estrogênio e progesterona pode ser protetora contra os gliomas. Mas esses estudos incluíram principalmente mulheres após a menopausa, que se auto-relataram seu uso de contraceptivos. Em seu estudo, as mulheres estavam na idade em que eles seriam a tomar contraceptivos, e os dados vieram diretamente de registros e registros médicos e, portanto, mais susceptíveis de ser preciso.


Curiosamente, Gaist descobriram que as mulheres que usam o controle da natalidade exclusivamente de progesterona mostrou um pouco maior risco de gliomas em desenvolvimento. Enquanto não está claro por que, ele suspeita que a obesidade pode estar desempenhando um papel. Na Dinamarca, a regulamentação exige que os médicos evitar a prescrição de anticoncepcionais à base de estrogênio para mulheres obesas, uma vez que o estrogênio pode aumentar o risco de coágulos sanguíneos.

Dr. Santosh Kesari, diretor de neuro-oncologia na Universidade da Califórnia, San Diego e membro da Academia Americana de Neurologia, nota que as taxas de gliomas não ter cravado desde a introdução de anticoncepcionais hormonais, mas concorda que a correlação merece discussão e mais estudo. "É algo que as mulheres devem estar cientes sobre, mas eu não acho que há evidência suficiente para dizer não usá-lo. Mas a discussão sobre o risco potencial precisa acontecer ", diz ele.

Até que mais pesquisa é feita para provocar uma separação como os hormônios em contraceptivos estão influenciando as células no cérebro, Gaist concorda que não há qualquer razão para as mulheres a parar de usar esses métodos de controle de natalidade."Com o conhecimento atual que temos, eu ainda seria a favor de uso de contracepção nas mulheres elegíveis", diz ele. "Mas é preciso fazer mais pesquisas para obter um melhor controle sobre as questões."

FONTE:
http://time.com/3677129/birth-control-risks-may-include-brain-cancer/

http://www.infowars.com/
Reações:

0 comentários:

Postar um comentário