12 de dez de 2014

[Estudo] Correlação entre o Aumento de Doenças Crônicas e o uso de Glifosato em Transgênicos

Posted by Semeando Paz on 12.12.14 1 comment


O glifosato é responsável pelo aumento de certas doenças em nossa sociedade moderna? Claire Robinson analisa um recente estudo que levanta esta questão:

O aumento nos últimos 20 anos na utilização do glifosato é responsável pelo aumento de doenças nos EUA?

Este novo estudo foi realizado pela ex-cientista da marinha americana, Dra. Nancy Swanson e outros pesquisadores, os quais fazem essa pergunta. Os gráficos revelam um considerável aumento de 22 doenças crônicas nos EUA durante os últimos 20 anos, algo que pode estar relacionado com o aumento do uso do glifosato e do cultivo de milho e soja transgênicos.

As correlações que aparecem em alguns gráficos muito claros são surpreendentes. Existe uma correlação muito significativa entre o uso do glifosato e a incidência de muitas doenças, entre elas a hipertensão, acidentes cardiovasculares, diabetes, obesidade, câncer de fígado e tireoide, doenças renais e Alzheimer. Também se observa uma correlação significativa entre a porcentagem de milho e soja transgênicos cultivados nos EUA e o aparecimento destas doenças. O aumento destas doenças não se deve apenas porque as pessoas vivem mais tempo, algo que os autores do estudo levaram em conta.


A correlação entre o aumento na aplicação de glifosato e o crescimento de cultivos transgênicos com a incidência de câncer hepático e das vias biliares intra-hepáticas

Significa que o glifosato causa estas doenças? Não, não necessariamente. Como os próprios autores observam, a correlação não é necessariamente causalidade. No entanto, argumentam que, dados os efeitos biológicos dos herbicidas a base de glifosato, "seria muito imprudente não considerar a causalidade como uma explicação plausível".

Embora existam milhares de substâncias tóxicas que possam ter contribuído exponencialmente para estas doenças, os autores afirmam: "Nenhuma substância tóxica aumentou mais a sua ubiquidade nos últimos 20 anos do que o glifosato."

É difícil discordar desta interpretação. E como cientista, não relacionado com a Dra Swanson e co-autores, se o problema dos cultivos transgênicos e seus pesticidas associados são uma batata quente a nível político e econômico, um crescimento tão rápido de certas doença sobre a população deveria ser objeto de uma urgente investigação. Isto seria feito com rapidez se a causa estivesse relacionada a vírus ou bactérias, onde há interesse social no desenvolvimento de vacinas ou produtos anti-bacterianos. No caso das doenças não infecciosas e quando os responsáveis podem ser os alimentos transgênicos que consumimos ou os pesticidas geralmente utilizados, os reguladores norte-americanos [e do mundo inteiro] viram as costas e fingem que nada está acontecendo.

O que é necessário cientificamente, a fim de estabelecer uma causalidade? A resposta: estudos sobre os alimentos a longo prazo em animais utilizando diferentes fórmulas de herbicidas com o glifosato, tal como os vendidos aos agricultores e ao público, aplicando doses reais que qualquer pessoa está exposta, e comprovar a sua segurança. Até onde eu sei, até agora somente um estudo cumpriu com todos estes critérios: o estudo de Seralini sobre o milho transgênico NK603 da Monsanto e o herbicida Roundup, o qual este cultivo é disposto a tolerar. Os resultados foram claros: com somente a metade das doses permitidas na água na União Europeia foram encontrados danos hepáticos e renais severos, assim como alterações hormonais.

Lei também: Explode a Verdade Sobre o Estudo de Seralini Ligando Transgênicos ao Câncer

Os argumentos contra tais estudos devido ao bem-estar animal, não tem sentido. Embora seja cruel submeter algumas centenas de ratos de laboratório a doses de Roundup encontradas no ambiente, muito mais cruel é submeter milhões de pessoas e animais a estas mesmas doses em um experimento controlado, onde ninguém comprova os resultados, nem são tomadas medidas para que isto não ocorra.

Devemos nos sentar e não fazer nada até que se possam financiar estudos sobre os alimentos em animais e em seguida, esperar que com o tempo, talvez as Agências de Regulação tomem medidas? Não. Faz sentido reduzir nossa exposição ao Roundup e outros produtos químicos usados na agricultura. Isto significa alimentarmos com produtos orgânicos, filtrar a água, evitar o uso de pesticidas nos jardins e nas plantações e pressionar as autoridades locais para que restrinjam seu uso nas escolas, parques, estradas e calçadas, e pressionar para que sirvam nas escolas menus com alimentos ogânicos e não transgênicos. E seja onde for que você more, é preciso fazer todo o possível para evitar os cultivos de transgênicos tolerantes a herbicidas.

Enquanto isso, o estudo da Dra. Swanson (o qual é oferecido um resumo abaixo), proporciona argumentos contra aqueles que garantem que apesar dos americanos consumirem transgênicos há décadas não são observados problemas de saúde. Nada disto é visto nele.

Os cultivos transgênicos, o glifosato e os problemas de saúde nos EUA

Nancy L. Swanson, Andre Leu, Jon Abrahamson, e Bradley Monedero
Journal of Organic Systems 9(2), 2014
Organic Systems Genetically engineered crops, glyphosate and the deterioration of health in the United States of America (PDF)


Resumo

O grande aumento na incidência e prevalência das doenças crônicas tem sido observado nos Estados Unidos nos últimos 20 anos. Aumentos similares tem sido observados no resto do mundo. [Veja por exemplo: Noticias de Abajo: Nueva revisión científica sobre los efectos en la salud de los plaguicidas utilizados en los cultivos transgénicos]

O herbicida glifosato começou a ser comercializado em 1974 e o seu uso aumentou com o aparecimento dos cultivos transgênicos tolerantes ao glifosato. Há mais evidências de que o glifosato interfere nos processos metabólicos de plantas e animais, e os resíduos do glifosato tem sido detectados em ambos. [Veja: Notícias de Abajo: El glifosato y el impacto de los transgénicos en los cultivos, los suelos, los animales y el hombre]. O glifosato altera o sistema endócrino e o equilíbrio das bactérias intestinais, danos ao DNA e favorece o aparecimento de mutações que levam ao câncer.

No estudo atual foi utilizado a base de dados do Governo dos Estados Unidos, dados sobre o cultivo dos transgênicos, dados sobre a aplicação do glifosato e os dados epidemiológicos das doenças.

Leia também: [ESTUDO] Herbicida Transgênico Roundup Ligado ao Crescimento de Intolerância ao Glúten
Se estabeleceu uma correlação com um total de 22 doenças no intervalo de tempo indicado. Os coeficientes de correlação de Pearson são muito significativos:

(<10 [-5]) entre as aplicações de glifosato e hipertensão (R = 0,923), acidente vascular cerebral (R = 0,925), prevalência de diabetes (R = 0,971), incidência de diabetes (R = 0,935), obesidade (R = 0,962), transtorno de metabolismo das lipoproteínas (R = 0,973), Alzheimer (R = 0,917), demência senil (R = 0,994), mal de Parkinson (R = 0,875), esclerose múltipla (R = 0,828), autismo (R = 0,989 ), doença inflamatória do intestino (R = 0,938), infecções intestinais (R = 0,974), doença renal em fase terminal (R = 0,975), insuficiência renal aguda (R = 0.97 8), cânceres da tiroide (R = 0,988), fígado (R = 0,960), bexiga (R = 0,981), pâncreas (R = 0,918), rim (R = 0,973) e a leucemia mieloide (R = 0,878).

Os coeficientes da correlação de Pearson são muito significativos (<10 [-4]) entre a porcentagem de milho transgênico e a soja plantada nos EUA e a hipertensão (R = 0,961), acidente vascular cerebral (R = 0,983), prevalência de diabetes (R = 0,983), incidência de diabetes (R = 0,955), obesidade (R = 0,962), transtorno de metabolismo das lipoproteínas (R = 0,955), Alzheimer (R = 0,937), Mal de Parkinson (R = 0,952), esclerose múltipla (R = 0,876), hepatite C (R = 0,946), doença renal em fase terminal  (R = 0,958), insuficiência renal aguda (R = 0,967), cânceres da tiroide (R = 0,938), fígado (R = 0,911), bexiga (R = 0,945), pâncreas (R = 0,841), rim (R = 0,940) e a leucemia mieloide (R = 0,889). A importância e a força das correlações mostram que os efeitos do glifosato e os cultivos transgênicos na saúde humana devem ser investigados mais a fundo.

Leia mais: http://www.anovaordemmundial.com/2014/11/estudo-americano-estabelece-uma-possivel-correlacao-entre-o-aumento-das-doencas-cronicas-e-o-aumento-do-uso-do-glifosato-em-cultivos-transgenicos.html#ixzz3LhavR8mn
Reações:

Um comentário:

  1. Tudo neste estudo é manipulado e, essencialmente, falso, A mesma correlação teita entre transgênicos e doenças pode ser feita (e vai dar uma curva mais perfeita e uma correlação melhor) com o aumento do consumo de orgânicos nos EUA. Uma bobagem da cabo a rabo. Leia na postagem http://genpeace.blogspot.com.br/2014/12/glifosato-e-transgenicos.html uma réplica completa com links que desconstroem esta fantasia perniciosa.

    ResponderExcluir