23 de nov de 2014

Sobre Julgar Os Outros

Posted by Semeando Paz on 23.11.14No comments

Entrevista com Bashar sobre o julgamento que fazemos dos outros e que os outros fazem conosco, onde ele explica como lidar com essas coisas.

Entrevistador = E
Bashar = B

E: Às vezes, quando estou sozinho, eu sinto tudo maravilhoso sobre mim. Quero dizer, eu sinto os poderes e me sinto claro… e então eu abro a porta da minha casa e eu ando lá fora, e eu me sinto afetado pela realidade de todo mundo.

B: Posso fazer uma sugestão?

E: Eu gostaria.

B: Reconhecer que você nunca está “lá fora”, tudo que você vê é de dentro, tudo. É tudo sua casa e você decidiu co-criá-la. Se você deseja dar seu poder a outra pessoa e assumir que a sua realidade projetada tem mais validade do que o que você preferir, que assim seja. Mas isso vem de dentro e é um auto-julgamento, e é a sua oportunidade de reconhecer que você não tem que julgar a si mesmo tão duramente .

E: Bem, eu não estou feliz com isso, quero dizer que eu…

B: Você não está feliz com você mesmo?

E: Eu não sou feliz , eu quero dizer pessoas ao meu redor… há algumas pessoas que eu não gosto e eu não sou ….

B: Por que? Será que eles apresentam coisas que você não gosta em si mesmo?

E: Talvez, eu não pensei sobre isso dessa maneira.

B: Reconheça essa ideia: Enquanto você escolher julgar o método de um outro indivíduo de aprender o que eles escolheram para aprender, você estará anexando-se a esse modo de aprendizagem e tornando-se a mesma vibração . “Não julgueis para que não sejais julgados”, não significa que você está sendo julgado por outra pessoa do lado de fora, significa que se você entrar em sintonia com a vibração de invalidar o caminho do outro, você inválida a si mesmo. E você conecta-se imediatamente à esse tipo de cenário e assim começa à sentir o mesmo tipo de vibração que está sintonizando.
Por simplesmente reconhecer que você prefere, e que o que você vê ao seu redor é simplesmente uma observação do que outros escolheram para si mesmos, então, permite que você saiba que mesmo que você possa observá-los, eles não afetam a vibração que você escolheu ser, a não ser que você permita que deixem criar a realidade para você. Você SÓ pode experimentar a vibração de outra pessoa quando você optar por criar sua própria versão dela para você(em sua própria realidade paralela), que é a única maneira que você pode experimentar qualquer coisa. Você deve optar por criar por si mesmo, tornando-se a mesma ideia, e é por isso que você sente julgado, porque você está julgando.

E: Eu não gosto nem um pouco disso.

B: Então não confunda a sua vibração com qualquer coisa que aparece em sua realidade. Entenda, você está fazendo a suposição de que desfrutar de algo ou não gostar de algo é uma coisa que você não tem controle sobre. Mas você está escolhendo o seu ponto de vista. Entenda a diferença entre julgamento e preferência.
Julgamento é a invalidação do que você não prefere. A preferência é simplesmente reconhecer o que é verdade para você, e por ser essa vibração e permitindo a igualdade para todas as outras escolhas, então, você ira permitir-se experimentar o apoio de "Tudo O Que É" em conceder-lhe o direito de se sentir como você é, dentro da vibração que você descreveu e definiu-se à ser.
Você nunca vai sentir o efeito da escolha de qualquer outra pessoa. Só fazendo uma ligação com eles você se identifica com eles e cria essa vibração para si mesmo. Essa é a única maneira que você pode criar uma falta de prazer, criando a vibração para si mesmo aquilo que você vê neles. Só porque eles estão fazendo isso não significa que você tem que sentir. Você me entende?


E: Sim, obrigado. Eu tenho uma outra pergunta .

B: Sim.

E: É verdade que nós escolhemos os nossos pais?

B: Sim.

E: E iremos descobrir em algum momento por que que escolhemos estes especial?

B: Isso é com você e depende do proposito, e não tem que ser consciente. Basta reconhecer desta forma, muitas pessoas estão sempre à procura de um propósito específico, em vez de permitir o que está acontecendo em suas vidas para ser um reflexo do proposito em si, e simplesmente continuar com suas vidas.

E: Eu vejo, isso é verdade.

B: Muitas pessoas vão escolher, em sua sociedade particular, interagir com outras pessoas que parecem estar em desarmonia com eles, porque isso dá ao indivíduo a oportunidade de ter algo para empurra-lo, para tornar-se a ideia de que queria ser. Portanto, eles podem reconhecer que na escolha de certos pais eles criaram um ambiente do qual eles se permitiram explorar a ideia do que eles escolhem ser, por isso, os pais têm sido de serviço, mesmo quando conscientemente não parecendo ter sido útil, e muitas vezes prejudicial. Você me entende?

E: Sim.

B: Obrigado.

E: Por que precisamos de algo nos pressione para sermos a ideia que queremos?

B: Porque essa é a maneira que vocês criaram em sua sociedade para ser. Vocês não… pelo menos até este ponto, geralmente não acreditam que vocês possuem o poder. Assim vocês criam reflexos que permitem, e de certa forma, forçam vocês em situações em que vocês tem que se tornar auto-empoderados. É tudo simplesmente porque você criou a ideia de esquecer quem você é, mas isso é em seus termos, “o fim da cauda do ciclo”. Vocês não precisam mais disso, todos os relacionamentos podem ser daqui para a frente bastante harmoniosos.

E: Ao conceder validade à trajetória de todos, há sempre um ponto em que alguém que você cuida e acredita corre o risco de ferir a si mesma e …

B: Você pode compartilhar com eles o seu ponto de vista sobre o que um resultado possível pode ser de suas ações, mas concedendo-lhes validade é simplesmente saber que você não pode convencê-los de qualquer coisa que eles não escolhem ser convencidos de qualquer maneira. Mas você está disposto a compartilhar uma visão de que, pelo menos permite que eles saibam o que eles podem decidir. “Bem, espere um minuto, eu gostaria de escolher outra coisa”. “O que o meu amigo disse?” “Talvez eu vou tentar isso”. Pelo menos você estará dando-lhes a oportunidade de reconhecer o que está à sua disposição de opções. Isso é como você pode ajudá-los.

E: Só através da partilha de ideias suavemente sem…

B: Carinhosamente, sabendo, sem sombra de dúvida, que, mais uma vez, no fundo, não importa o que escolherem, no fim eles ainda estão bem, porque você é eterno(Eu Sou Outro Você), indestrutível. Você existe agora e você sempre será. Porque agora sempre existe, a existência é sempre agora. Você sempre terá existido, você existe agora e sempre será, porque você é Tudo O Que É.
Você pode apenas transformar-se de uma ideia para outra.


http://evoluasuaconsciencia.blogspot.com.br/2014/01/sobre-julgar-os-outros.html
Reações:

0 comentários:

Postar um comentário