24 de out de 2014

Ser Falso Para agradar, ou Ser você mesmo? ..........O que você acha??

Posted by Semeando Paz on 24.10.14No comments

Hoje acordei com uma enorme vontade de escrever a respeito do nosso ser, ou, de não ser. O que eu quero dizer é que, quantas vezes por dia somos nós mesmos… Sem máscaras, sem hipocrisia, “Verdadeiro”, “Sincero”…

A sociedade diariamente cria um medo em nós mesmos: o medo de que alguém possa rir de você, o medo de perder algo, que percam o respeito por você, medo da rejeição… Porquê não permitimos que as pessoas sejam exatamente como elas são?

Você já reparou que quando você está acompanhado com alguém, você está mais preocupado com ele do que com você mesmo?

Já percebeu que quando você está sozinho você faz caretas, dança, canta, lê, viaja (pensa), quantas vezes você se torna uma criança? Mas se de repente você percebe que está sendo observado, volta a se render ao seu ego – sério, patético, sóbrio, exatamente como as pessoas esperam que você seja… Que pena, não é mesmo? Porquê temos medo deles? E eles de nós? Todo mundo tem medo de todo mundo. Todos se escondendo atrás de alguma coisa falsa. Incrível!

Você acha que agindo assim, você está vivendo? Ou estamos simplesmente representando?

Quando estamos representando, não estamos sendo desonestos e hipócritas, também com nós mesmos?

Bem, mas se por um acaso você em determinado momento deixar que sua felicidade se manifeste, através de uma dança, de um grito, de um amor, de uma atitude “não comum”… pronto! Você passa a ficar fora da sintonia com a multidão, ou passa a ser um maluco, pelo menos aos olhos das pessoas que estão te assistindo…

Mas já notaram que as pessoas que conseguem se destacar, permitiram que o seu “eu” se manifestasse? Sem ter vergonha ou medo.

Elas expressaram as suas maluquices, porque, mesmo que por alguns instantes, deixaram de ser miseráveis, não estavam ansiosas, sem medos, não se preocuparam com as trivialidades… Estavam simplesmente vivendo cada momento com totalidade e intensidade… Cheias de amor, fragrância, vida e riso.

Mas fique experto. Muitas pessoas que estão ao seu redor não aceitarão a idéia de que você alcançou alguma coisa, que na verdade elas perderam. E para que elas tirem a sua alegria, serão capazes das coisas mais horríveis, de modo que você possa voltar ao rebanho.

É preciso ter coragem. Dirão que você é maluco, que irá perder, que “isso ou aquilo”… Mas faça isso: Diga a elas que estão completamente certas; que você decidiu ser exatamente você mesmo: Loucura com alegria, com felicidade, com dança, com amor; diga que eles têm escolhido a sanidade com miséria, angústia, tristeza, falsidade e hipocrisia – Simplesmente nossas escolhas são diferentes – Não se sintam ofendidos, pois eu não me sinto ofendido com vocês…

É isso mesmo que vocês estão lendo. O que eu disse foi: Vivam na sua Luz completa e original! Abandone todas as suas falsidades!

Mas e a diplomacia?

Ora, ser diplomático significa ser outra pessoa. Quer melhor sinônimo para hipocrisia do que, diplomacia? Seja simplesmente você mesmo! Não seja desonesto com você mesmo. Você não merece!

Todas as pessoas no mundo querem ser verdadeiras, pois só por serem verdadeiras, isso já lhes traz muita alegria e uma abundância de felicidade. Por que alguém deveria ser falso? Você precisa ter coragem para chegar a um insight um pouco mais profundo: Por que você tem medo? O que o mundo pode fazer com você? As pessoas podem rir de você; isso fará bem para elas – rir é sempre medicinal, é saudável. As pessoas podem pensar que você é louco… Você não vai ficar louco só porque elas pensam que você está louco.

E se você é autêntico quanto à sua alegria, suas lágrimas, sua dança, o seu amor…– mais cedo ou mais tarde aparecerão pessoas que compreenderão você, que poderão começar a se juntar à sua caravana. Faça apenas aquilo que sente que estava vindo de seu coração.

A sua maior responsabilidade é com você mesmo, com o seu coração e não com as pessoas no mundo.

Perceba que as pessoas estão muito mais preocupadas com problemas delas, com o mundo delas.

Acredite, somente nos seus sentimentos originais, as suas experiências autênticas irão com você, mesmo depois da morte… Pois elas te pertencem…

Nem mesmo a morte poderá lhe tirar a dança, as suas lágrimas de alegria, a sua pureza, o seu silêncio, a sua serenidade, o seu amor, o seu êxtase. Aquilo que a morte não pode tirar de você é o único tesouro verdadeiro; e aquilo que pode ser tirado pelas outras pessoas não é um tesouro, é apenas tolice.

Só viver nem sempre é viver. Olhe para a sua vida. Você pode dizer que ela é uma benção? Você pode dizer que ela é um presente da existência? Você gostaria que essa vida lhe fosse dada repetidas vezes? Ela está tão vazia. Por causa de seu vazio, as suas preces são vazias. Você não consegue preencher suas preces com gratidão.

Gratidão, por que? Você nada mais está fazendo senão representando papéis em uma novela, você não está sendo você mesmo.

Você é realmente você mesmo? Ou está apenas fingindo ser alguém que a multidão ao seu redor queria que você fosse?

Para mim, um buscador da verdade deveria começar por abandonar tudo o que é falso nele, porque o falso não pode buscar a verdade. O falso é a barreira entre você e a verdade. Se tudo o que é falso for abandonado, você não precisa buscar a verdade – a verdade virá até você. Na verdade, quando eu digo, ‘A verdade virá até você’, isto são apenas palavras. Quando tudo o que é falso é abandonado, você é a verdade.



Por: Wagner Veneziani Costa
http://ninhodasborboletas.blogspot.com.br
Reações:

0 comentários:

Postar um comentário