1 de jul de 2014

Revista The Lancet: O FLÚOR É UMA NEUROTOXINA, dizem médicos pesquisadores

 

Quem teria pensado que isto jamais aconteceria? Alguém na medicina tradicional e da literatura de revisão por pares e revistas científicas publicaria o 'impensável': que o flúor, o material que eles colocam no abastecimento de água municipal, supostamente para "proteger" os dentes das cáries, é uma neurotoxina. Uau! E parabéns aos médicos Philippe Grandjean, MD, e Philip Landrigan J, MD, dois pesquisadores que publicaram suas descobertas na revista The Lancet Neurology, Volume 13, Edição 3, Páginas 330 à 338, em março de 2014. [1]
No resumo publicado em seu artigo, se afirma que:

Deficiência do desenvolvimento neurológico, incluindo autismo, déficit de atenção e hiperatividade, dislexia, e outras deficiências cognitivas, afetam milhões de crianças em todo o mundo, e alguns diagnósticos parecem estar aumentando com freqüência ... Desde 2006, estudos epidemiológicos têm documentado seis  neurotoxicantes de desenvolvimento adicionais: manganês, o flúor, clorpirifós, diclorodifeniltricloroetano, tetracloroetileno, e os éteres difenil polibromados.
Provavelmente, nada mais pode confirmar isto como científica, demográfica, e terrível verdade! E todos, não apenas as crianças, estão pagando as consequências por todas as exposições químicas. 

Agora vamos ver se os Drs. Granjean e Landrigan terão a integridade científica para expor as neurotoxinas em vacinas pelo o que elas realmente são. Eu gostaria de dar-lhes uma referência por onde começar a procurar ideias: meu livro de 2013, Vaccination Voodoo, What YOU Don’t Know About Vaccines, disponível pelo site Amazon.com.

Nesse livro eu também menciono o flúor. Por quê? Porque o que não está documentado pelas revistas de "ciência" de revisão por pares é a interação química entre o flúor e neurotoxinas de vacinas e outros produtos químicos em vacinas. Adicione a essa lista, os produtos químicos que somos forçados a comer na nossa alimentação, principalmente o glifosato proveniente da pulverização excessiva de culturas geneticamente modificadas, como milho, beterraba, soja, canola, alfafa de alimentação animal e, possivelmente, abóbora e batatas.

Acrescente a isso todos os herbicidas, fungicidas, pesticidas, etc, que são pulverizados em frutas, legumes e ração animal que entraram na cadeia alimentar há MUITO tempo. Para mais informações sobre esses "...CIDAS", que se destinam a matar as formas de vida, os leitores e os médicos podem querer ler o meu livro de 2010 Our Chemical Lives And The Hijacking Of Our DNA, A Probe Into What’s Probably Making Us Sick, também disponível pelo site Amazon.com.

Qualquer substância química cujo objetivo seja matar uma forma de vida deve ser considerada como uma neurotoxina, disruptor endócrino, ou cancerígeno - no mínimo - na minha opinião, como um pesquisador de saúde do consumidor por quase 37 anos.

Sem desviar da importância deste artigo sobre o flúor, mas os EUA (e o Brasil) pode colocar uma nação de volta ao trabalho da limpeza do ambiente da toxicidade uma vez que as indústrias químicas e farmacêuticas estão as expondo para o que elas realmente são: Biohazards!

Aqui está um pequeno vídeo do YouTube sobre a fluoretação da água em outro países.



De acordo com o British Fluoridation Society em novembro de 2012 [2], os seguintes países que fluoretizam porções em sua população:
 Argentina    19%
Austrália    80%
Brasil       41%
Brunei       95%
Canadá       44%
Chile        70%
Fiji         36%
Guatemala    13%
Guiana       62%
Hong Kong    100%
República Irlandesa 73%
Israel       70%
Líbia        22%
Malásia      75,5%
Nova Zelândia 61%
Panamá       15%
Papua Nova Guiné 6%
Peru         2%
Sérvia       3%
Singapura    100%
Coreia do Sul 6%
Espanha      11%
Reino Unido  11%
EUA          64%
Vietnã       4%
 


Então, o que a adição de flúor às fontes de água municipais tem feito para a saúde humana? Não muito, exceto causar problemas de saúde [3], incluindo:

* Um estudo de Harvard mostra que o flúor reduz o QI em crianças. [4] [6]

* Doença óssea incapacitante, ou seja, fluorose óssea [5] * Fluorose dental severa, em vez de proteger os dentes. Se você não sabe o que se parece, aqui está um link mostrando a fluorose dental.

 


Alguém poderia pensar que, com a publicação de 2010 de que o QI das crianças são  impactados negativamente que os governos federais, estaduais e municipais teriam parado a fluoretação da água municipal imediatamente. Não! eles não pararam, e agora é 2014. Isso significa que a fluoretação da água tem um propósito que não está sendo reconhecido? Poderia ser o deliberado emburrecimento da população mundial? Ou, poderia ser para fazer mais negócios para dentistas, médicos e indústria farmacêutica? O que você acha?
Referências: 

[1] The Lancet Neurology: Neurobehavioural effects of developmental toxicity
[2] Fluoride Alert: Countries that fluoride their water
[3] Fluoride Alert: Health Effects
[4] Mercola: Harvard Study Finds Fluoride Lowers IQ
[5] Wikipedia: Skeletal Fluorosis
[6] EHP: Developmental Fluoride Neurotoxicity: A Systematic Review and Meta-Analysis (PDF)

 
Fonte: http://www.anovaordemmundial.com/
Reações:

0 comentários:

Postar um comentário