21 de jul de 2014

Pondé diz que morte de palestinos é puro "marketing"

Posted by Semeando Paz on 21.7.14No comments

“Hamas espera que muitos palestinos morram para dizer que Israel é mau. Isso é puro marketing”, afirmou Luiz Felipe Pondé sobre o massacre na Faixa de Gaza que já matou 423 palestinos, incluindo cerca de 100 crianças, e deixou mais de 3 mil feridos

pondé palestinos morrem marketing
Pondé diz que palestinos morrem por marketing (Edição: Pragmatismo Político)
O filósofo conservador brasileiro Luiz Felipe Pondé atribuiu a um “marketing geopolítico” do Hamas a morte de 423 palestinos, incluindo cerca de 100 crianças, contra Israel. “O Hamas espera que muitos palestinos morram para dizer que Israel é mau. Isso é puro marketing”, disse.
SAIBA MAIS: O melhor filme para entender a convivência impossível entre Israel e Palestina
Segundo ele, o grupo palestino se esconde atrás da população civil porque sabe que quando Israel é obrigado a revidar, muita gente morre e a mídia internacional embarca de novo no estelionato geopolítico.
Ele diz que é importante lembrar que os palestinos “são uma cabeça de ponte dos países árabes e do Irã que continuam buscando a eliminação de Israel do mapa da região”.

Cronologia das tensões

A escalada de violência israelense ocorreu após a morte de três adolescentes israelenses na Cisjordânia no final de junho. Como “vingança”, um jovem palestino foi queimado vivo e assassinado em Jerusalém.
Logo após a descoberta dos corpos dos três jovens, Israel iniciou uma ofensiva contra o Hamas. Aviões de guerra passaram a bombardear Gaza destruindo casas e instituições e foram realizadas execuções extrajudiciais. Até agora, quase 600 palestinos foram sequestrados e presos. Mais de 400 morreram.
A tensão aumentou na região após anúncio, no começo de junho, do fim da cisão entre o Fatah e o Hamas, que controlam a Cisjordânia e a Faixa de Gaza, respectivamente. Israel considera o Hamas um grupo terrorista e por isso suspendeu as conversas de paz que vinham sendo desenvolvidas com os palestinos com a mediação do secretário de Estado norte-americano, John Kerry.

Pragmatismo
Reações:

0 comentários:

Postar um comentário