24 de jun de 2014

Deixar o celular no bolso pode afetar a qualidade do esperma, alterando a fertilidade masculina, diz estudo

Posted by Semeando Paz on 24.6.14No comments



Estudo afirma que celulares podem ter um impacto significativo sobre a fertilidade do homem.

Os que mantêm um telefone no bolso da calça poderiam estar se expondo à radiação, e esta reduz a chance do homem de se tornar um pai.
Cientistas da Universidade de Exeter descobriram que essa radiação eletromagnética baixou a viabilidade e o movimento dos espermatozoides em 8%.
A maioria da população adulta mundial possui celulares, e cerca de 14% dos casais em países ricos têm dificuldade em conceber. Observando a situação, uma equipe liderada pela Dra. Fiona Mathews, da Universidade de Exeter, realizou uma análise dos resultados de 10 estudos, envolvendo 1.492 homens.
Dra. Mathews afirma que os resultados sugerem que a radiação móvel tem um impacto sobre a fertilidade, mas disse que é preciso muito mais pesquisa para tirar conclusões sólidas.

Ela disse: "Dada a enorme escala de uso de telefone móvel em todo o mundo, o papel potencial desta exposição ambiental precisa ser esclarecido. Este estudo sugere fortemente que essa exposição à radiação eletromagnética de radiofrequência vista em celulares nos bolsos das calças afeta negativamente a qualidade do esperma”.

A sua qualidade pode ser afetada de três maneiras diferentes: na viabilidade, ou quanto do esperma é saudável; motilidade, ou quão bem ele se move em direção a um ovo; e concentração de espermatozoides no sêmen.

A maioria dos homens tem 50 a 85 por cento de espermatozoides com movimento normal. Os pesquisadores descobriram que esta proporção caiu a uma média de 8%, quando houve a exposição dessa região aos telefones móveis.

Os autores alertaram que aparelhos portáteis podem ser combinados com a radiação de internet wi-fi e de outras tecnologias, afetando as taxas de fertilidade que estão cada vez mais baixas a nível mundial.

Allan Pacey, especialista em fertilidade da Universidade de Sheffield, disse que não estava convencido pelo estudo. "Houve algumas manchetes malucas e alarmantes sobre este assunto. Na minha opinião, os estudos realizados até o momento têm sido um pouco limitados. O que nós precisamos é de alguns estudos epidemiológicos, adequadamente projetados, onde o uso do telefone móvel é considerado ao lado de outros hábitos de vida”.


Fonte: DailyMail Foto: Reprodução / DailyMail
Reações:

0 comentários:

Postar um comentário