13 de mar de 2014

UM NEGÓCIO DE UM BILHÃO DE REAIS: A VERDADE SOBRE A VACINA HPV

Postado por Lucio Neto
Milhões de meninas entre 11 e 13 anos de idade, indefesas, estão sendo levadas por seus pais para o sacrifício, convencidos de que estão fazendo o bem aos seus filhos. Acreditam ou foram levados a acreditar, pela propaganda mentirosa e pelo merchandising veiculados nos jornais, rádios e televisões do país, de que a vacina Gardasil irá previnir o câncer de colo de útero dessas meninas brasileiras.
Vejam os senhores a que ponto chegou a irresponsabilidade de governos, empresários e a mídia em busca do lucro fácil.
Todo mundo deve ter visto a presidente do país lançando, em rede nacional, mais esta campanha de vacinação, uma verdadeira farsa, para cumprir mais um item da agenda dos 300 Picaretas que querem dominar o mundo. 
Esta senhora, que representa o voto dos bolsistas desse país, teve o desplante de afirmar que seu governo estava lançando mais uma campanha em benefício da saúde da mulher.
Vamos contar a verdadeira história dessa vacina e deixar que os país tomem a decisão de vacinar ou não suas filhas:


- Até o momento, a eficácia das vacinas contra o HPV na prevenção do câncer do colo do útero não foi demonstrada, enquanto os riscos de vacinas ainda não foram completamente avaliados.

- Atuais práticas de imunização do HPV no mundo todo, com qualquer uma das duas vacinas contra o HPV parece ser nem justificado por benefícios a saúde a longo prazo, nem economicamente viável, nem há qualquer evidência de que a vacina contra o HPV (mesmo se revelar ser eficaz contra o câncer do colo do útero) reduziria a taxa de colo do útero câncer além do que o exame de Papanicolau já alcançou.

- Cumulativamente, a lista de reações adversas graves relacionados com a vacinação contra o HPV em todo o mundo inclui mortes , convulsões, parestesia , paralisia, síndrome de Guillain- Barrésyndrome (GBS), mielite transversa, paralisia cerebral, síndrome de fadiga crônica , anafilaxia , desordens auto-imunes, trombose venosa profunda, embolia pulmonar ACIAL e cânceres cervicais.

- Como o programa de vacinação contra o HPV tem cobertura global, a saúde a longo prazo de muitas mulheres podem bater o risco contra os ainda desconhecidos benefícios da vacina.

- Os médicos devem adotar uma abordagem mais rigorosa de medicina baseada em evidências, a fim de fornecer uma avaliação equilibrada e objetiva dos riscos e benefícios da vacina.

Este mesmo estudo ainda diz que :
No momento não há dados significativos que mostrem que  Gardasil (MSD) ou Cervarix (GSK) podem impedir qualquer tipo de câncer do colo do útero uma vez que o período de testes empregado foi muito curto para avaliar benefícios de longo prazo da vacinação contra o HPV. Os períodos mais longos de dados de acompanhamento de ensaios de fase II para Gardasil e Cervarix são 5 e 8,4 anos, respectivamente, enquanto que o câncer cervical invasivo leva até 20-40 anos para se desenvolver a partir do momento de aquisição da infecção pelo HPV... No entanto, apesar do câncer colo do útero poder ser causado pela exposição persistente a 15 dos 100 HPVs existentes através de contato sexual, até mesmo infecções por HPV persistentes causadas por HPV de "alto risco" geralmente não irão levar a lesões precursoras imediatas, e muito menos a longo prazo, ao câncer. A razão para isso é que, tanto quanto 90% das infecções por HPV desaparecem espontaneamente dentro de 2 anos, e daqueles que não resolvem , apenas uma pequena proporção pode evoluir para o câncer ao longo dos 20-40 anos subseqüentes. Além disso, os dados de investigação indicam que graus mais elevados de atipia (tais como CIN 2/3) pode resolver ou estabilizar ao longo do tempo.

Site do governo americano informa número de pessoas mortas ou que sofreram consequências com o uso da vacina Gardasil - VAERS - Veja quadro acima.

Seguem mais informações para análise dos pais:

A Merck 'esqueceu-se' de investigar os efeitos da vacina Gardasil sobre a reprodução feminina

Um estudo recém-publicado revelou que a Merck & Co., o cérebro empresarial por trás da famosa vacina Gardasil, contra o papilomavírus humano (HPV), convenientemente esqueceu-se de pesquisar os efeitos dessa vacina mortal sobre os sistemas reprodutivos das mulheres. E pelo menos uma jovem, neste caso da Austrália, suportou o peso dessa falha imperdoável depois de descobrir que seus próprios ovários tinham sido completamente destruídos como resultado de ter tomado a vacina. 
Publicado no peer-reviewed British Medical Journal (BMJ), o angustiante relato da experiência desta jovem de 16 anos de idade, deve causar uma refexão em todos os pais que estão sendo pressionados por seus médicos para dar às suas filhas a vacina Gardasil. 
Privada de sua condição natural de uma feminilidade completa, esta menina está vivenciando uma menopausa precoce, em que seus ovários foram completamente danificados antes sequer deles terem atingido o desenvolvimento completo.
Intitulada de A Falência Ovariana Prematura, a menarca ocorreu três anos após a vacinação para o papilomavírus humano, e este último estudo de caso fornece uma sólida evidência que o Gardasil é, no mínimo, uma séria ameaça para a função ovariana normal.
Não foram examinados somente os danos causados na menina, verificou-se também que ela tinha ovários saudáveis antes da vacina, e não haviam outros fatores que poderiam ter causado em esse terrível destino precoce.  Leia mais aqui

Uma jovem francesa está processando a fabricante da vacina Gardasil, contra o HPV, por efeitos colaterais no sistema nervoso central. Seis meses após ter recebido a segunda injeção da vacina, em 2010, Marie-Oceane, então com 15 anos, foi hospitalizada com diversos sintomas, como perda temporária da visão, paralisia facial e dificuldades para andar.
Segundo Jean-Christophe Coubris, advogado da vítima, relatórios médicos apontaram a relação entre a vacina e as patologias desenvolvidas por sua cliente. A queixa foi apresentada na última sexta-feira em Bobigny, na periferia de Paris. A vítima acusa o laboratório Sanofi Pasteur e MSD, que produz a vacina, de “atentado involuntário à integridade”. A agência nacional francesa de medicamentos (ANSM) também é alvo do processo. ”A vacina Gardasil teve consequências dramáticas para o meu cliente. Tais efeitos secundários são muito graves e são totalmente negados pelas autoridades industriais e de saúde. Precisamos quebrar essa dupla negação“, diz o advogado.
“No início, os médicos fizeram uma ressonância magnética, punção lombar, e eles diagnosticaram ela como tendo esclerose múltipla. Mas após a segunda injeção, eles procuraram uma ligação entre a vacinação e os sintomas e fizeram a declaração“, diz Jean-Jacques Bourguignon.
Outras três mulheres também afirmam terem sido vítimas dos efeitos colaterais do Gardasil. As jovens, com idades entre 20 e 25 anos, foram vacinadas entre 2008 e 2010. Duas delas desenvolveram dermatose crônica e a terceira foi diagnosticada com inflamação da musculatura (polimiosite). Elas pretendem apresentar queixa nos próximos dias. Para a advogada Camille Kouchner, que acompanha as três, “os casos de vítimas do Gardasil estão se multiplicando e isso pode se tornar um novo escândalo sanitário”.
Sanofi Pasteur contesta as acusações. O diretor-adjunto do laboratório André Dahlab afirma tratar-se de uma coincidência e que nenhum estudo estabeleceu até agora uma “incidência superior” das doenças desenvolvidas entre as usuárias do Gardasil.

Aqui estão algumas drogas, cujos riscos não impediram lucros fabulosos:

1. Vioxx : A "super aspirina" Vioxx, foi muito comercializado pela Merck. Vioxx foi uma droga milagrosa que tratou de tudo, desde dores de artrite até cólicas menstruais. Seus anúncios alegavam, que os usuários estariam livres de problemas gastrointestinais causadas por drogas mais antigas, como a aspirina. Descobriu-se que o Vioxx foi super em outra coisa, também: ele dobrou o risco de eventos cardíacos, causando 27.785 ataques cardíacos e mortes cardíacas súbitas de acordo com fontes de notícias.

2. Fosamax: Vioxx não foi a única droga Merck demonstrando que o perdão é mais fácil e mais barato quando se trata de marketing de novas drogas. Fosamax da Merck, o primeiro de uma classe de drogas anti-osteoporose chamados bifosfonatos, que incluiu Boniva e Actonel, foi ligada a problemas cardíacos, dor intratável, morte mandíbula, fraturas ósseas e do câncer de esôfago. Saiu das prateleiras em 2008. Documentos divulgados pelo tribunal revelam que cientistas da Merck sabia sobre ligação Fosamax 'até a morte mandíbula como na década de 1970 em estudos com animais.

3. Lipitor: Qual é o medicamento mais vendido na história da indústria farmacêutica? O que fez 125000000000 dólares em 14 anos e meio e até US $ 11 bilhões em um único ano? Lipitor, droga estatina  de sucesso da Pfizer, deve seu sucesso a dois fatores. Foi lançado em 1997, quando a publicidade de medicamentos ao consumidor direto estava apenas começando e aproveitado o crescente temor nacional de ataques cardíacos ligados ao colesterol. Graças ao "saber de seus números" anúncios de TV e representantes da Pfizer saturaram consultórios médicos com amostras grátis das pílulas brancas e do Lipitor, tendo mais de 29 milhões de pessoas sido prescritas com Lipitor.

4. Nexium: É a segunda droga mais vendido, depois de Lipitor. A pílula roxo. Como as estatinas, Nexium e outro Proton-Inibidores da Bomba (PPI) para tratar a doença do refluxo gastroesofágico (DRGE), tornou-se medicamentos doméstico graças à publicidade direta ao consumidor. Nexium fez quase $ 5 bilhões nos EUA em um ano e da classe dos PPIs fez US $ 13,6 bilhões em um ano, traduzindo-se em 119 milhões de prescrições.

5. Adderall: Graças à Pharma marketing, o TDAH é agora o segundo diagnóstico mais comum a longo prazo em crianças com a asma, diz o New York Times , muitas vezes conferida por "esquecimento na infância e notas baixas." 

6. Paxil: Poucos antidepressivos ISRS têm o perfil de segurança de xadrez da GlaxoSmithKline (GSK) Paxil. Em 2007, a BBC revelou que o estudo de Paxil 329 mostrou adolescentes com seis vezes mais chances de se tornar suicida com o uso  da droga, mas os resultados foram enterrados . (GSK estabeleceram relacionados acusações em 2012 por US $ 3 bilhões.) Rumores circularam durante anos sobre o suicídio e os sintomas de abstinência tóxicos com Paxil e foram evidentemente verdadeiro em alguns casos.

7. Ambien: Uma das vacas de dinheiro da Big Pharma têm sido comprimidos para insônia, porque todo mundo assiste TV, quando não consegue dormir, e eles vêem dormindo anúncios da pílula. Liderando a categoria de comprimido para dormir está a Sanofi-Aventis 'Ambien, que rendeu US $ 2 bilhões ano antes de ser aposentado em 2006. 


VIA:
http://www.lucioneto.com.br/2014/03/um-negocio-de-um-bilhao-de-reais.html#.UyD0SNaRyf8.twitter


Na verdade, este tema merece uma série com vários capítulos. Existem muitas histórias interessantes a serem contadas a cerca da maior indústria do mundo - a de medicamentos.
As vacinas são verdadeiras minas de ouro dessa indústria. Lembram-se da vacina da gripe suína? Sabem quem é o dono da vacina contra a gripe suína? Donald Rumsfeld, ex-secretário de Defesa dos Estados Unidos. Só mais um vírus para se ganhar alguns bilhões de dólares.
E essa vacina contra a gripe para os velhinhos? Já notou que eles vivem gripados. O vírus está na vacina.
Cidadão, você tem que abrir os olhos e se informar melhor sobre o que se passa à sua volta. Quando um governo como o do PT, que não tem a menor credibilidade entre os cidadãos com um mínimo de acesso à informações, diz, através da líder que é a presidente da república, que o governo está oferecendo de GRAÇA uma vacina que já matou e deixou sequelas em meninas no mundo todo, é passível de crédito? 
É um negócio de UM BILHÃO DE REAIS e não é a saúde da sua filha que está interessando a estes comunistas.
 
http://illuminatielitemaldita.blogspot.com.br
Reações:

0 comentários:

Postar um comentário