27 de mar de 2014

FIFA critica os Brasileiros

Artigo deletado na revista da FIFA criticava os brasileiros

Um artigo publicado em uma revista da FIFA sobre o Brasil foi motivo de outra discórdia entre o organismo, mídia e autoridades brasileiras às vésperas do Mundial 2014, que começará em 12 de junho próximo, segundo informa a imprensa local. O diário Folha de São Paulo(1)  sustenta que um artigo, intitulado "Brasil para principiantes", que foi retirado da revista FIFA Weekly, comentava em sentido crítico, mas ao mesmo tempo com humor, algumas das características da população brasileira.

Artigo deletado na revista da FIFA criticava os brasileiros

Entre outras coisas, sustentam que a nota da FIFA, dirigida aos turistas que visitarão o Brasil durante o Mundial, descrevia os brasileiros como impontuais, impacientes com as filas e até afirmava que costumam deixar tudo para a "última hora". Pontualmente sobre esta última questão, há uma classe de deboche em clara alusão aos atrasos nas obras.

Segundo o Estadão(2), as recomendações, que transcrevemos logo abaixo, foram retirado da revista e a FIFA desculpou-se com as autoridades brasileiras, dizendo que o artigo tinha um tom leve e que em nenhum momento teve a intenção de criticar o Brasil.

Cartilha Brasil para principiantes da FIFA:

1. Sim nem sempre significa sim: é a entonação da voz que define se o sim é realmente um sim, ou um talvez. Por isso, "não espere o telefone tocar nos próximos cinco minutos" se um brasileiro dizer "te ligo em seguida".

2. O tempo é flexível: não espere que o brasileiro seja pontual. "Se duas pessoas marcam de se encontrar às 12h30, elas vão se ver a partir das 12h45".

3. Contato corporal: brasileiros não estão acostumados com o jeito dos europeus de se manter educadamente uma distância entre um e outro. Eles falam usando as mãos e não vão hesitar em tocar na pessoa com quem estão falando.

4. Filas: Esperar pacientemente numa fila não está no DNA dos brasileiros, que preferem cultivar o caos.(A tradução parece que adocicou o texto. Há alguns erros. Por exemplo, no item 4, a frase original é "brasileiros preferem cultivar o caos tentando frequentemente passar os outros pra trás". O teor geral do texto original é mais ácido do que o traduzido)
5. Sobrevivência dos maiores: nas ruas, os pedestres são ignorados, e mesmo na faixa de pedestres, raramente um motorista vai parar.

6. Controle-se: se você vai a um restaurante de churrasco em que você pode comer à vontade e quer imediatamente pegar o menu de carnes, lembre duas coisas: não comer pelo menos 12 horas antes da refeição e consumir em pequenas doses, pois a melhor carne é servida geralmente por último.

7. Experimente açaí: dizem que tem os mesmos efeitos de uma bebida energética.

8. Fazer topless: corpo nu e arte em um corpo feminino podem ser vistos no Carnaval, mas você não vai ver isso todos os dias no Brasil. Os biquínis no Brasil possuem menos tecido em relação aos da Europa, mas eles ainda são usados o tempo todo. Curtir a praia sem biquíni é proibido e pode resultar em multa.

9. Não ao espanhol: o idioma nacional é o português. Se você falar que Buenos Aires é a capital do Brasil você pode ser deportado.

10. Tenha paciência: no Brasil, as coisas são feitas nos últimos minutos. Isso vale até para os estádios. E se tem uma coisa acima de todas que um turista deve se lembrar, é não perder a paciência e segurar os nervos. Uma atitude brasileira para resumir isso é: relaxa e goza.

O artigo, assinado por Flávia Lopes Sant Anna e pelo editor da revista, Thomas Renggli, como dá para perceber, não faz mais do que recalcar clichês sobre comportamentos habituais dos brasileiros, não há em absoluto nenhum exagero nem mentiras em todas essas recomendações sugeridas pela revista. Nós somos mesmo exageradamente desse jeito. O problema é que nem toda verdade deve ser dita, ainda mais por uma organização que está "queimada" entre a maioria dos brasileiros.

De qualquer forma discordo de pelo menos um ponto desta lista de recomendações, em específico do seu título; parafraseando Tom Jobim: "O Brasil não é para principiantes" e pela "primeira vez na história deste país" -parafraseando um outro bordão-, grande parte da população torcerá contra sua seleção, um sentimento encarnado na composição de Edu Krieger(3), que lançou a música "Desculpe, Neymar" para anunciar que também torcerá contra o Brasil na Copa do Mundo.

Edu afirmou ser contra a realização da Copa no Brasil diante das carências do país em setores como educação e saúde. A letra da canção, que lemra muito Paulinho da Viola, repassa as conquistas de Parreira e Felipão, que infelizmente não são o bastante para animar a torcer pela seleção, "...enquanto a FIFA se preocupa com padrões. Somos guiados por ladrões que jogam sujo pra ganhar. Desculpe Neymar, eu não torço desta vez...."
Notas:
Todos sabemos desses nossos defeitos, mas não queremos ouvi-los ditos pelos outros. Fato.

O lado bom desta Copa com o seu já famoso slogan "padrão FIFA" foi de revelar o abismo que existe entre o nível de qualidade e de competência mundial com o do brasileiro. Não podemos culpar a FIFA por isso e nem por nada, pois este padrão ela exige de todos os países. O desleixo, o superfaturamento, a lerdeza, o jeito "Jeca Tatu" nas coisas é nosso e em geral, também dos povos ibero-latinos, do qual a maioria dos brasileiros são descendentes. 

A Copa também serviu para mostrar a total incompetência de nossos governos em todas as 3 esferas (federal, estadual e municipal) e por que também não a nossa incompetência em eleger nossos representantes ?

Países sérios movimentam a economia através da educação e geração de patentes, de inventos, que rendem dividendos por décadas. País irresponsável investe em pão e circo (futebol/carnaval/novela), porque é mais fácil e rentável à famílias e grupos escusos que se perpeturam por aqui. Investir no circo serve para manter povo na miséria intelectual e perpetuar sua condição bovina. Eis o Brasil "povo marcado povo feliz".

Outra grande problema é que a maior parte da mídia brasileira promove a promiscuidade, ataca a família tradicional e seus valores e o povo ignorante assimila tudo e pior, aplaude ! O certo é muitas vezes mostrado como errado e o errado é passado como certo. Esse é o estádo de miséria, de decadência moral de um povo que tinha tudo para ser Cristão de verdade. Mas o que se percebe é que a maioria do povo quer é putaria(*), zona, bagunça, promiscuidade etc. O carnaval, o funk, os índices sempre maiores de adolescentes grávidas que o digam. 

O brasileiro esquece que para termos um país melhor, a mudança começa por si mesmo. Costuma esperar do outro um comportamento que ele mesmo muitas vezes não tem ou não sabe. Assim fica muito difícil sermos um país de primeira grandeza. Fato.

(*) Rachel Sheherazade fala sobre imagem do Brasil no exterior :

http://desatracado.blogspot.com.br/
Reações:

Um comentário:

  1. Como dizia nosso saudoso Kazuza:"Exagerado...Eu sou mesmo exagerado"...A cara do Brasil...kkk...

    ResponderExcluir