26 de fev de 2014

Às vésperas da Copa, governo da França lança manual sobre riscos de violência contra turistas no Brasil

Texto alerta sobre roubo em estrada de SP, ataque em Copacabana  e sequestro em Brasília

Mapa em guia mostra locais não recomendados (vermelho), recomendados só em caso de necessidade (laranja) Reprodução
Às vésperas do Carnaval e a três meses da Copa 2014, o governo francês lançou um guia que destaca os locais mais perigosos do Brasil e faz uma série de recomendações a turistas que viajam ao País.
O texto destaca, sobretudo, os perigos de assaltos no bairro de Copacabana, no Rio de Janeiro, e nas estradas que ligam a cidade de São Paulo ao litoral paulista.
“Devido ao aumento significativo de ataques a turistas, é preciso todo cuidado por parte dos viajantes que vão ao Rio de Janeiro. O aviso aplica-se a todas as áreas, mas em especial a Copacabana, onde se concentram mais de 50% dos casos de furtos ou roubos à mão armada reportados à polícia”, diz o guia. A proporção é bem superior à dos números oficiais, divulgados pelo Instituto de Segurança Pública.
Sobre as estradas paulistas, o documento pede aos turistas cuidado em áreas onde a velocidade deve ser reduzida. “Em razão dos conhecidos riscos de assalto à mão armada nas estradas que ligam São Paulo às cidades do litoral do Estado, recomenda-se aos franceses que utilizem essas estradas vigiar pessoas que se posicionam em lombadas”, diz o texto.
O guia afirma ainda que, na capital paulista, os locais mais arriscados são a Praça da República, Sé e Estação da Luz.
Sequestro em Brasília e golpe em Recife
Em Brasília, o documento alerta para o risco de sequestro relâmpago. O texto afirma que não é bom estacionar em locais ermos e mal iluminados. Segundo as recomendações, o turista deve sair rapidamente do carro, e evitar falar ao telefone ao desembarcar.
O texto informa sobre o golpe boa noite Cinderela em Recife. O documento aconselha os turistas que frequentam boates a não abandonarem nunca seus copos. O guia também alerta para o risco de ataque de tubarão nas praias da capital pernambucana.
De modo geral, o guia aconselha que aos turistas a usarem, se possível, duas carteiras; dirigirem com os vidros fechados e as portas do carro trancadas. O texto também afirma que é necessário ficar de olho nos pertences em transportes públicos.
O texto desaconselha ainda desaconselha turismo em favelas. Sobre o Carnaval, o guia afirma que é um período "tradicionalmente festivo e violento no Brasil".
http://noticias.r7.com
Reações:

0 comentários:

Postar um comentário