9 de jan de 2014

Afinal, o que é expandir a consciência?

big-bang
Alguém digitou no Google: “como expandir a consciência” e caiu no meu blog. Quando vi isso nas estatísticas do Blogger, parei para pensar: puxa, será que essa pessoa encontrou sua resposta aqui? Aí me dei conta que talvez não porque não é todo mundo que é capaz de fazer inferências ou tirar suas próprias conclusões. E não é por falta de inteligência, não.
São vários os fatores que podem impedir a reflexão com a conseqüente inferência:
- Falta de hábito. Quando meus filhos eram pequenos e me faziam perguntas, boa parte das vezes, eu usava com eles o método socrático (respondia com outra pergunta/s). Ficavam bravos comigo, mas ensinei-os a pensar por si próprios. Depois que a Filosofia saiu do currículo escolar notei que cada vez mais a juventude está carecendo do hábito de refletir sobre as questões que realmente podem trazer crescimento pessoal. Que o digam os selecionadores de empresas.
- Falta de informação e/ou cultura. Vivemos hoje num mundo globalizado e midiático onde há muita, talvez excessiva, informação para ser apropriadamente digerida. Dentro desta “gaiola de loucos” a maior parte da informação que é consumida pela massa é aquela que não nos acrescenta nada como seres humanos: quem matou quem e por que, qual a cor da calcinha da celebridade, qual o último sucesso de Lady Gaga e por aí vai... Ressalte-se que estou me referindo à massa, não a todo mundo.
- Medo. Refletir pode cansar, dá trabalho e principalmente, num imprevisível e determinado momento, nos faz voltarmo-nos para dentro de nós mesmos. Aí é que a porca torce o rabo! O medo de se olhar por trás das máscaras, de descobrir quem realmente se é e ... não gostar do que se vê! Solução para este problema: acompanhe este blog rsrsrs Vai descobrir que não importa o que ache de si mesmo, você já é perfeito, simplesmente precisa polir algumas arestas e ... se amar.
- Prepotência. O típico “eu já sei tudo”. Quando encontra argumentos que vão para o lado oposto dos seus próprios nega-se a refletir sobre eles por considerá-los disparates. Prepotência é um mecanismo de defesa! Mente aberta é a porta para a reflexão.
Com certeza há outros fatores, mas para não nos alongarmos muito, vamos em frente.
O que é, então, expandir a consciência:
- Primeiro de tudo – não é alteração de consciência. Estado alterado de consciência se caracteriza principalmente pela dissolução do tempo e espaço, podendo também haver dissolução da consciência do “eu individualizado”. Nesse estado é possível a comunicação com seres extrafísicos, “viagens” astrais, regressão a vidas passadas e outras “façanhas” muito loucas. rsrsrs
Só sabe mesmo quem já experienciou. Os livros de Carlos Castañeda são ótimos para quem se interessar pelo assunto.
- É sair da zona de conforto. É ir além. Ver, inclusive, o que não gostamos ou queremos ver ou saber.
- É sair da mesmice, da rotina, da Matrix, libertando-se das crenças limitantes, dos dogmas e dos medos que nos impedem de explorar e quiçá realizar potenciais que só estão esperando por essa carta de alforria para se materializarem à nossa frente.
- É ter consciência da própria condição de ser planetário e não simplesmente um indivíduo do bairro tal, da cidade tal, do time de futebol tal, do partido político tal, etc. Consciência de que estamos todos conectados, somos parte de uma mesma raça – a humana.
- É ter consciência que o trabalho escravo na China afeta a nossa economia, que a insanidade do uso de combustível fóssil e nuclear não é benéfico para a nossa biologia nem para o ecossistema.
- É ter consciência que enquanto duas pessoas, ditas racionais, estão aos tapas e gritos, brigando por uma besteira qualquer, nesse mesmo instante, quem sabe, uma galáxia está se formando. Algo tão grandioso e que pode vir a afetar a nossa própria ... Ou seja, colocar as coisas em perspectiva. Quem faz isso?
- Ter consciência é ter percepção de nós mesmos e da realidade à nossa volta somadas ao nosso prévio conhecimento, que inclui a memória. Então ao expandi-la aumentamos nosso horizonte. Aos poucos tudo vai entrando em perspectiva, deixamos de nos enfurecer porque o carro da frente nos deu uma fechada ou porque o cachorro da vizinha fez cocô na nossa porta. Ao assistirmos o noticiário ficamos informados do que acontece no mundo, mas não precisamos sofrer por isso porque começamos a compreender que tudo tem uma razão de ser ou acontecer.
- É procurar aumentar o autoconhecimento que tem como conseqüências melhorar nossos relacionamentos, nos tornar mais hábeis numa entrevista de emprego, alavancar nossa carreira, coisas tão práticas e necessárias no nosso dia a dia.
“The last but not least”: é ter consciência do Agora. Não viver no passado nem antevendo ou suspirando por um futuro melhor. É estar totalmente presente neste momento fugaz que, sim, pode determinar o nosso futuro. Já pensaram por que o momento atual é chamado de presente? Porque é uma dádiva! O que quer que se queira fazer só podemos fazê-lo no Agora já que não podemos recriar o passado e o futuro não existe ainda.
Finalmente chegará um dia quando nossa consciência estará tão ampliada que passaremos a perceber também outras realidades, chamadas não físicas, algo semelhante ao alcançado através da consciência “alterada”.

http://expandiraconsciencia.blogspot.com.br
Reações:

0 comentários:

Postar um comentário