8 de nov de 2013

Igrejas inovam e realizam cultos em bares, regados a cerveja, para reaproximar fiéis

Igrejas inovam e realizam cultos em bares, regados a cerveja, para reaproximar fiéis: “Estamos pensando fora da caixa”, diz pastor
Atrair pessoas à igreja tem se tornado uma tarefa difícil em alguns lugares, e isso tem exigido criatividade dos líderes cristãos ao redor do mundo. Em alguns casos, a ideia foi realizar cultos em bares, ou transformar a própria igreja em um.
Nos Estados Unidos, pastores e líderes tem enfrentado o afastamento dos fiéis com cerveja, realizando cultos em que petiscos e a bebida gelada são servidos gratuitamente. Em meio aos hinos de louvor e sermão, uma garrafa ou outra de cerveja é aberta e saboreada pelos fiéis.
Chamado de “Church-in-a-pub” (Igreja no boteco, em tradução livre), o movimento tem atraído pessoas que costumeiramente não vão a cultos. A fiel Leah Stanfield revela o que a atraiu nos cultos organizados pela igreja de Forth Worth, no Texas: “Acho que é o amor, o apoio, o olhar sem julgamento que recebo quando eu venho aqui”, diz ela, que acrescenta: “Além de eu encontrar amigos que amam a Deus e à cerveja artesanal”.
Segundo o site The Salt, todos os domingos à noite, aproximadamente 30 a 40 pessoas se reúnem num bar da cidade, pedem pizza, cerveja e celebram a Deus com hinos e ouvem a palavra. O pastor luterano Philip Heinze, além de participar, celebra a ceia memorial a Jesus Cristo no bar.
“Eu não estou interessado, francamente, em fazer mais membros da igreja. Eu estou interessado em ter as pessoas com relações significativas em torno de Jesus. E se isso acaba acontecendo com cerveja artesanal, tudo bem”, declara o pastor.
O movimento tem crescido e recebido apoio de outras lideranças. Em outubro, o conselho regional da Igreja Evangélica Luterana na América emitiu um parecer favorável ao movimento “Church-in-a-pub”, autorizando que outros pastores adotem a ideia. Em 2014, o conselho vai designar um jovem pastor para expandir a ideia a outros bares nos arredores de Dallas.
“Acho que a igreja institucional agora está recebendo pessoas a bordo. Há muita ansiedade, francamente, sobre o declínio da igreja e eles estão tentando pensar fora da caixa, além do modelo institucional”, comentou o pastor.
A ponderação a respeito dos limites que devem ser adotados em cultos regados a cerveja é lembrada por um dos líderes que apoiam o movimento. “A embriaguez é um pecado, mas cerveja ou álcool com moderação pode ser um presente da criação de Deus”, afirmou o pastor Matt Bistayi, que organiza reuniões no mesmo modelo em Allendale, Michigan, numa entrevista ao The Wall Street Journal.
Por Tiago Chagas, para o Gospel+
Reações:

0 comentários:

Postar um comentário