23 de out de 2013

O Magnésio e o Cancro


O Magnésio na Pesquisa do CancroA Reposição de  magnésio produziu o rápido desaparecimento dos tumores do periósteo.

O Magnésio na Pesquisa do Cancro

Aleksandrowicz et al, na Polónia concluiu que a inadequação de magnésio e os antioxidantes são fatores de risco importantes na predisposição para leucemia. Outros pesquisadores descobriram que 46% dos pacientes internados numa UTI num centro de terciário de cancro, apresentou hipomagnesemia. Eles concluíram que a incidência de hipomagnesemia em pacientes com cancro em estado crítico é elevado.
Em estudos com animais, descobrimos que a deficiência de magnésio tem causado tumores hemopoiéticos em ratos jovens.
Um estudo de ratos sobreviventes á deficiência de magnésio, suficiente para causar a morte de convulsões durante a infância precoce, em alguns, e lesões cardiorenais semanas mais tarde nos outros, revelou que alguns dos sobreviventes tinham nódulos no timo ou linfossarcoma.
Normalmente não se acha que a deficiência de magnésio (Mg) pode aumentar o risco de cancro, paradoxalmente, ou proteger contra ele, mas vamos descobrir que, assim como a desidratação ou asfixia pode causar a morte , também a deficiência de magnésio pode levar diretamente ao cancro.
Quando você considera que o transporte de mais de 300 enzimas e de íons, requer magnésio e que o seu papel no metabolismo dos ácidos graxos e fosfolipídios afeta a permeabilidade e estabilidade das membranas, podemos ver que a deficiência de magnésio levaria ao declínio fisiológico das células preparando o palco para o cancro.
Tudo o que enfraquece a fisiologia da célula vai levar a infecções que envolvem e penetram tecidos tumorais. Estas infecções estão provando ser uma parte integrante do cancro. A deficiência de magnésio é uma ameaça direta à saúde das nossas células.
Sem quantidades suficientes as nossas células calcificam e apodrecem. Torna-se um terreno fértil para leveduras e colônias  de fungos, invasores prontos para estrangular a nossa força vital e nos matar.
                 O Magnésio na Pesquisa do Cancro

Mais de 300 diferentes sistemas de enzimas dependem do magnésio para facilitar a sua ação catalítica, incluindo o metabolismo ATP, ativação de creatina-quinase,adenilato-ciclase, e sódio-potássio-ATPase.
Sabe-se que a carcinogénese induz a perturbações na distribuição de magnésio, as quais provocam a mobilização de magnésio através de células sanguíneas e de depleção de magnésio em tecidos não-neoplásicos.
A deficiência de magnésio parece ser cancerígena, e no caso de tumores sólidos, um elevado nível de suplementação de magnésio inibe a carcinogénese.
Tanto a carcinogénese como a deficiência de magnésio aumentam a permeabilidade e fluidez da membrana plasmática.
Os cientistas descobriram, de facto, que existe uma ligação de menos Mg + +  para a membrana de fosfolipidos de células de cancro, do que para as membranas das células normais.
 Fonte: http://drsircus.com/medicine/magnesium/magnesium-chloride-benefits
Dr. Mark SircusDr. Mark Sircus, Ac., OMD, DM (P)
Director International Medical Veritas Association
Doctor of Oriental and Pastoral Medicine
Reações:

0 comentários:

Postar um comentário