25 de jul de 2014

A Estratégia Imperialista




Muitas pessoas não gostam de se envolver com política.

A política, por sua vez..., gosta de se envolver com todos nós e com todas as áreas da nossa vida, sem exceção, desde a parte pessoal até a profissional passando por tudo que houver entre esse dois lados.

Ela, impiedosamente, só nos deixa duas opções: sermos ativo em relação a esse processo e tentar torná-lo o menos prejudicial para nós na medida em que for possível, ou, ser passivos e sofrer a ação do processo político sobre as nossas vidas, rezando para que, talvez, por acaso ele nos seja favorável...

A pessoa estratégica está consciente do processo político e trabalha para que o mundo e o seu país sejam lugares justos e livres para se viver.

Goste ou não de política.

A passividade não é uma característica da pessoa estratégica.

Um dos temas mais importantes da política internacional, é o Imperialismo.

O Imperialismo é uma estratégia que visa levar o mundo a um cenário final em que uma grande e forte nação ocupa o centro do cenário e em torno dela só há nações menores e mais fracas que não têm condição de impor uma resistência militar real e nem uma concorrência comercial relevante que possam ameaçar de alguma forma a posição da nação central dominante.

A opção pela estratégia imperialista nasce do desejo de um arranjo internacional em que se tenha o máximo de ganho com o mínimo de trabalho e resistência.

É - na visão dos líderes estrategicamente despreparados - a situação ideal de arranjo global.

O Imperialismo foi a opção estratégica de muitas - se não de todas - as grandes civilizações do passado. É a opção estratégica das grandes nações de hoje. E, não há motivo para acreditar que os grandes grupos econômicos e políticos que dominam as grandes nações irão abandonar essa opção estratégica no curto prazo.

A humanidade, infelizmente, ainda vai sofrer muito desse mal.

O tema é amplo.

Complexo.

E extremamente importante.

De modo que é necessário estudá-lo aos poucos e devagar.

Vamos começar com três aspectos centrais do Imperialismo:
O primeiro - uma apresentação pública aceitável deve ser construída por intelectualoides e por grupos de comunicação que leve ao público interno e externo ao país explicações para as ações táticas indispensáveis à estratégia imperialista.

O objetivo dessa máscara com a qual a nação imperialista vai se apresentar ao mundo, e até à sua própria população, é fazer com que, nem a massa civil interna e nem a comunidade de nações, questionem ou resistam aos movimentos que seriam prontamente condenados sem a devida doutrinação e a devida propaganda. Essa doutrinação e essa propaganda explicam e justificam o comportamento da nação imperialista.

Liberdades e recursos que se devem perder e tomar de estrangeiros nunca chegariam a sê-los se "filosofias" específicas não fossem privilegiadas no sistema de ensino público e privado que educa a população. Matar e morrer são coisas que os grupos que comandam a nação conseguem de seu povo sem grandes dificuldades quando esse povo aprendeu desde a mais tenra idade, na escola, que esse é seu destino natural, ou seu dever divino, ou qualquer outra coisa do gênero...

O intelectualoide é o soldado do Imperialismo nesse campo de batalha.

Um cientista sério nunca conseguiria tirar de seus laudos laboratoriais aberrações ideológicas como a Teoria do Destino Manifesto dos EUA ou a Teoria da Superioridade Racial Ariana da Alemanha nazista.

O cientista é o inimigo mortal do intelectualoide.
Questione a seriedade da mãe do intelectualoide, mas não cobre dele comprovação científica quanto ao que ele afirma.

Ele vira a mais agressiva das feras!

Um sistema de ensino de natureza científica e não filosófica ou religiosa é o melhor preventivo contra estratégias imperialistas.

A Imprensa, por sua vez, selecionará, de tudo o que acontece no mundo, aquilo que for mais conveniente, para levar ao conhecimento da população. E irá apresentar esse conteúdo ao publico da maneira que contribua para a construção do mundo ideal, na visão do dono do veículo. Ou isso, ou substituições serão feitas no quadro de funcionários da empresa de comunicação... Os artistas aparentemente contribuem para a formação da consciência da população, mas, não há porque considerá-los de forma separada e com maior atenção uma vez que eles apenas refletem nos seus discursos e nas suas artes as ideologias dos intelectualoides "modernos" e que "estão em destaque" - sem nunca se perguntarem como ou por que eles chegaram a essa posição, quem os seleciona e financia, nada desse tipo...

Os opositores, terão o destino do partido comunista nos EUA ou dos opositores de Mao na China da Revolução Cultural.

"Revolução Cultural", luta pela "liberdade dos Povos Irmãos..."

A apresentação social aceitável deve ser repleta de elementos dos mais elevados valores morais, éticos e humanitários!...

Opor-se à ação da grande nação deve ser visto como opor-se à própria Liberdade, ao Progresso, à Paz.

Os modernos e os intelectualmente sofisticados já aderiram aos hábitos e ideias dos novos tempos. Só os bárbaros e os dinossauros intelectuais ainda resistem...

É o discurso que a criança ouve na escola.

E seus pais leem nos jornais.

Conhecimento - conhecimento científico - e não subjetividade de gente tendenciosa, e, Imprensa imparcial e livre - totalmente livre -
são o que derrubam de maneira irreparável este primeiro pilar do Imperialismo.


http://ummundonovooficial.blogspot.com.br
Liberte Sua Mente 
Reações:

0 comentários:

Postar um comentário