14 de mai de 2014

Missa Negra satânica na Universidade de Harvard foi em frente, apesar do protesto de milhares de católicos

Ashley Collman e Reuters
Comentário de Julio Severo: A Missa Negra Satânica, que foi cancelada dentro da Universidade de Harvard, acabou sendo realizada na Praça Harvard, que fica exatamente ao lado da universidade. Embora Harvard leve o nome de um pastor calvinista e tenha origens calvinistas, quem foi responsável pelos protestos contra o evento satânico foram os católicos. Ninguém sabe onde estão o calvinistas. Mas estou certo de que se a Universidade de Harvard tivesse anunciado um culto neopentecostal, com R.R. Soares ou Silas Malafaia, apareceriam líderes calvinistas de tudo quanto é lado para protestar e denunciar. Fariam até marchas e procissões calvinistas contra o “satanismo” neopentecostal. Pelo menos, o comportamento rotineiro da blogosfera calvinista do Brasil é ocupar-se em seu vício favorito: atacar neopentecostais. Mas por que só os católicos reagiram ao evento satânico em Harvard? Onde estavam os calvinistas? Talvez eles estejam tão acostumados à maçonaria que a missa negra não os incomode. “Satânico” para eles são cultos com expulsão de demônios e manifestação dos dons do Espírito Santo. Isso eles não aceitariam em Harvard em hipótese alguma! Diante do dragão, ficam em silêncio, mas não têm pudor algum para expulsar a pomba. Preferem até se omitir vergonhosamente diante do liberalismo teológico da Teologia da Missão Integral apenas para atacar o neopentecostalismo. O título deste artigo parece estranho, mas a responsabilidade é do DailyMail, autor da reportagem traduzida por mim do inglês. Eis o artigo original:
Uma organização satânica que havia planejado realizar uma missa negra na Universidade de Harvard foi forçada a levar o evento para fora do campus depois que milhares de pessoas assinaram uma petição contra a missa.
Católicos protestando contra a missa negra
O Clube de Estudos Culturais da Extensão de Harvard havia originalmente planejado realizar o evento, conduzido pelo Templo Satânico de Nova Iorque, no subsolo do Salão Memorial da universidade na segunda-feira.
Satanistas reunidos ao lado de Harvard para realizar sua missa negra
Contudo, o grupo estudantil desistiu do patrocínio do evento que estava programado para acontecer, depois dos protestos de católicos no campus e na cidade de Boston.
Muitos veículos de comunicação noticiaram que o evento havia sido cancelado completamente, porque o templo não havia conseguido encontrar um local fora do campus para realizar a missa.
Missa negra, que foi cancelada em Harvard, foi realizada em restaurante chinês ao lado de Harvard
Mas eles acabaram fazendo um acordo com o restaurante Hong Kong na Praça Harvard e postaram em sua página de Facebook que o evento ocorreria “dentro de uma hora” por volta das 10h30min.
Salão Memorial de Harvard onde a missa negra foi cancelada
Na semana passada, o clube de estudos culturais provocou polêmica quando anunciou planos para realizar uma reencenação histórica de uma missa negra.
O clube disse que a intenção do evento era ser educacional e seria precedido por uma palestra sobre a história e origens da missa negra, um ritual que imita, de forma zombadora, a missa católica, em que o pão e o vinho são consagrados e consumidos.
Estátua de Satanás que grupo satanista da missa negra quer colocar em Oklahoma
A reencenação estava marcada para ser realizada pelo Templo Satânico, uma organização satanista que atraiu atenção no começo deste ano depois que propôs a colocação de uma estátua de Satanás de mais de 2 metros de altura ao lado do monumento existente dos Dez Mandamentos em Oklahoma.
O anúncio provocou indignação no campus e até em Boston, com a arquidiocese divulgando um comunicado dizendo que o evento “coloca os participantes perigosamente perto das obras destrutivas do mal.”
Drew Faust, presidente da Universidade de Harvard, chegou a condenar o evento como “abominável,” mas disse que a universidade não cancelaria a missa a fim de proteger a liberdade de expressão.
Mas muitos no campus não ficaram contentes com a decisão de Faust de deixar a missa prosseguir.
Aurora Griffin, a estudante católica que iniciou a petição contra a missa negra
A estudante bolsista Aurora Griffin começou uma petição e acabou conseguindo mais de 60 mil assinaturas de estudantes, ex-alunos e professores em apoio da proibição da missa no campus.
“Sinto vergonha que minha universidade esteja permitindo que tal evento repugnante ocorra sob o patrocínio da ‘educação,’” Griffin, ex-presidente da Associação de Estudantes Católicos de Harvard, disse ao jornal Boston Globe.
Manifestação católica contra missa negra em Harvard
A arquidiocese protestou contra o evento realizando uma procissão eucarística na segunda-feira de noite, culminando numa hora santa na Igreja de São Paulo que teve a presença do presidente Faust.
Missa católica contra missa negra
A Liga de Ação Católica de Massachusetts realizou sua própria manifestação com um evento chamado “Rosário do Conserto” fora do Salão Memorial — onde a missa negra estava originalmente marcada para acontecer.
“É inimaginável que a Universidade de Harvard permitiria tal paródia obscena dos ritos sagrados de outra religião,” C.J. Doyle, diretor-executivo da liga, disse numa declaração na manhã de segunda-feira. “O anticatolicismo, porém, permanece um preconceito respeitável.”
Traduzido e editado por Julio Severo do artigo do DailyMail: Harvard Satanic “black mass” goes ahead despite protests from thousands of Catholics
Reações:

0 comentários:

Postar um comentário