2 de abr de 2014

MH370: Rothschild Envolvidos; Avião Estaria em Kandahar




O mistério em torno do voo 370 da Malaysia Airlines está crescendo a cada dia que passa, com mais silêncio misterioso sombreando o desaparecimento. Mais e mais teorias da conspiração estão começando a crescer na internet, muitas delas com um sólido fundo de verdade.

Uma delas diz respeito a um microcontrolador ARM KL-03 da Freescale Semiconductor (que desenvolveu microprocessadores, sensores e outras tecnologias nos últimos 50 anos), que é uma nova versão experimental de um mais velho, o KL-02. A empresa de tecnologia dos EUA tinha 20 funcionários sênior a bordo do voo MH370 e havia acabado de lançar o novo gadget de guerra eletrônica para sistemas de radares militares nos dias que antecederam o desaparecimento doBoeing 777.

Quatro desses membros eram detentores da patente do microcontrolador. O desaparecimento deles colocou a posse total da patente nas mãos do famoso bilionário Jacob Rothschild, que agora é oficialmente o único proprietário do importante gadget.

A família Rothschild é sempre envolvida em tramas Illuminati para o controle mundial e implantação da Nova Ordem, o que já é uma espécie de folclore para muitos pesquisadores, mas desta vez realmente pode-se suspeitar diretamente de seu envolvimento através desta revelação.

Mesmo que ele ou os Illuminati não tenham nada a ver com o desaparecimento, ainda restam várias perguntas a serem respondidas.

Por que haviam tantos funcionários da Freescale viajando juntos?
Quais eram os seus empregos?
Eles estavam em uma missão e, se sim, qual era essa missão?
Podem estes funcionários ser a causa do desaparecimento do avião?
Poderia o avião ter sido sequestrado para capturar essas pessoas?
Será que esses funcionários possuem informações valiosas ou têm alguma carga valiosa com eles?
Será que eles sabem segredos tecnológicos da empresa?
Com todo o poder da tecnologia atual, por que o avião não pode ser localizado?


E podem haver mais evidências de queima de arquivo ou roubo de propriedade intelectual. Quatro dias após o desaparecimento do voo MH370, a patente desses semicondutores foi aprovada pelo escritório de patentes dos EUA. Ela foi dividida em partes de 20% entre cinco sócios. Um dos proprietários é a própria empresa, a Freescale Semiconductor (cujo sócio majoritário é Jacob Rothschild), e os outros quatro são funcionários chineses da empresa que estavam a bordo do voo da Malaysia Airlines. Coincidência?

E há ainda mais. A empresa desenvolve projetos para diversas áreas estratégicas e de segurança do governo dos EUA, como comunicação no campo de batalha, aviação, radares de alta frequência, mísseis teleguiados, guerra eletrônica e identificação de inimigos. Fica ainda mais evidente que há um plano maligno de acobertamento e uso da tecnologia para fins nefastos por trás do desaparecimento do voo quando revela-se que entre os sócios majoritários da empresa estão George H. Bush (ex-presidente dos EUA e pai do também ex-presidente George W. Bush) e a família de Osama Bin Laden (líder da Al-Qaeda, criada e financiada - até hoje - pelo governo dos EUA).

No processo de divisão dos ganhos de dividendos da patente também há indícios de uma conspiração para se livras dos quatro detentores menores. Por lei, um detentor pode recolher sua parte dos lucros para uso pessoal ou deixar como herança. Quando ele morre, sua parte automaticamente é dividida entre os detentores restantes e a família não pode mais recolher tais ganhos. Em resumo, quanto menor for o número de detentores, mais será ganho. Poderia-se dizer, se houvesse base investigativa para tal, que tudo não passa de um plano de assassinato para que todos os ganhos bilionários gerados pela patente caiam somente nas mãos dos Rothschild, Bush e Bin Laden.


SEGREDOS DE DIEGO GARCIA



O ponto A marca a ilha de Diego Garcia, localizada a 3 mil km da Malásia


A ilha britânica no Oceano Índico está entre as possíveis localizações do avião segundo muitas teorias conspiratórias. Apesar de ser território do Reino Unido, ela abriga uma das instalações mais secretas estrategicamente importantes dos Estados Unidos. Localizada perto do centro remoto do oceano Índico e acessível somente por transporte militar, a base foi o ponto de lançamento para as guerras no Iraque e Afeganistão, e pode abrigar uma prisão ultra-secreta daCIA onde suspeitos de terrorismo são interrogados e torturados.

Mas Diego Garcia abriga outro segredo sujo. É de lá que uma foto foi enviada de um IPhone que supostamente pertence a Phillip Wood, um técnico da IBM que estava entre os passageiros do avião desaparecido. (leia mais aqui) Junto com a foto ele teria enviado uma mensagem de texto ativada pela voz na qual afirma que o avião foi sequestrado e que ele foi vendado, separado dos outros passageiros e drogado.

De fato, ao analisar a foto com softwares especializados em extrair o máximo de informações dos arquivos, a localização do aparelho apontou que o mesmo se localizava em uma área de 3km² nas proximidades de Diego Garcia. Uma investigação mais detalhada das informações da foto, feita pelo jornalista investigativo Steve Quayle, encontrou o ponto exato de onde a foto partiu: um prédio ao lado da pista de decolagem da base americana na ilha de Diego Garcia.



Segundo Steve Quayle, Phillip Wood estaria sendo mantido refém dentro do prédio apontado


INFORMAÇÕES FORAM MODIFICADAS PARA EXCLUIR DIEGO GARCIA DAS BUSCAS

Algumas horas após o sumiço do voo 370, as informações reveladas davam conta de que o avião teria voado até 7 horas após o último contato. Com base nisso, os cálculos apontavam que a aeronave poderia estar em qualquer lugar dentro de uma faixa de 4 mil km. Como Diego Garcialocaliza-se a 3 mil km, a ilha teria de ser incluída nas buscas.

Porém, a história "oficial" contada na semana passada já era outra. Ela dizia que o avião voou de 4 a 5 horas, cobrindo um território de pouco mais de 2500 km e excluíndo Diego Garcia da área de resgate.


NOVAS CONSPIRAÇÕES DIZEM QUE O AVIÃO ESTARIA EM KANDAHAR, NO AFEGANISTÃO

Enquanto as contradições continuam a aparecer às toneladas, as conspirações também tomam forma.

Agora, informações tidas como oficiais deram base para a teoria de que o avião teria sido sequestrado pelo Talibã - grupo terrorista também financiado pelos EUA - e estaria emKandahar, no Afeganistão. A teoria é defendida pelo MK.ru, que diz ter entrado em contato com uma fonte do alto comando das Forças Especias Russas (antiga KGB) e obtido a informação.

"Os pilotos do voo não são culpados, o avião foi sequestrado por uma fonte desconhecida. Ele está em uma estrada rural de Kandahar, próximo à fronteira com o Paquistão. Suas asas estão quebradas e ele parece ter sofrido uma aterrissagem forçada. Os passageiros estão sendo mantidos reféns em uma cabana de barro", teria dito a fonte russa. "Aviões não somem, a não ser que os governos queiram", acrescentou.

Apesar de dizer que a região está sendo desmilitarizada, o exército dos EUA ainda domina e manda no Afeganistão, Iraque e Paquistão. As autoridades regionais ficariam caladas caso o avião estivesse realmente lá. E isso é um fato que colabora com a teoria.

Além disso, a informação de que o pouso teria sido forçado mostra-se coerente, pois um Boeing 777 precisa de uma pista de pelo menos 1,5 km para aterrissar com segurança. Pistas desse tamanho são constantemente vigiadas pelo fato de serem propícias ao acontecimento de grandes acidente, e um avião desse porte não passaria desapercebido, não podendo, portanto, pousar em uma - porém, a pista de Diego Garcia tem 2,5 km e é vigiada somente por militares dos EUA.


Futuras e bombásticas revelações deverão contar a verdade no decorrer do mês.

Reações:

0 comentários:

Postar um comentário