22 de set de 2013

As pessoas que parecem passar a vida inteira se enchendo de coisas artificiais. Gastam os dias, as forças e as paixões no que não pode ser eternizado, no que não tem lugar no coração.



Há poucos dias, fui ao funeral de um familiar. Confirmei aquilo que já tinha reparado há muito tempo. Sabe qual é a frase mais utilizada nos funerais? 
É esta: “É a vida!” 

E é. É o definitivo nascer para a Vida, é o último parto do coração humano, é o abrir-se 
as portas da plenitude. Mas a maior parte das pessoas tem muito medo da morte... 

Já reparou nisso? Já reparou que a maior parte das pessoas tem medo da morte? 

O medo da morte entende-se pelo mesmo motivo pelo qual as pessoas têm medo dos ladrões: porque ninguém gosta de ser roubado, e a morte é a maior ladra da nossa história. 

O coração é o que somos. A morte nos rouba tudo o que temos, mas o que somos passa-lhe por entre os dedos ...

Ser é viver a partir do coração, ser é viver com coração. 
Sabe, é que há pessoas que parecem passar a vida  inteira se enchendo de coisas artificiais. Gastam os dias, as forças e as paixões no que não pode ser eternizado, no que não tem lugar no coração. 
Neste tempo do parecer, há pessoas que se querem construir a partir da imagem. 

Neste tempo do ter, há pessoas que se querem construir a partir dos bolsos;
Temos que ser os anunciadores, isso sim, de que a vida deve investir-se naquilo que vale a pena. 

E só vale a pena o que puder ser eternizado, ou seja, só vale a pena o que brotar do Amor e tiver rosto de verdade, justiça e bem-querer. Porque seremos eternamente o que hoje fizermos do nosso coração.

http://durwanei.blogspot.com.br
Reações:

0 comentários:

Postar um comentário