10 de set de 2013

A NSA vai além da internet, e tem acesso até mesmo aos nossos iPhones e iPads........Veja




É, a coisa está feia. Os vazamentos do ex-consultor da inteligência dos Estados Unidos, Edward Snowden, prometem nos deixar perplexos ainda por muito tempo. Isso porque ele está revelando ao mundo algo que todos já desconfiávamos há tempos: toda nossa vida online está sendo vigiada.

Uma das últimas revelações diz respeito ao acesso às informações contidas em todos os dispositivos móveis, inclusive aqueles com iOS.

A revista alemã Der Spiegel publicou na edição desta semana detalhes de como a NSA (agência de segurança nacional dos Estados Unidos) tem acesso à qualquer SMS, mensagem, email, contatos e localização geográfica de qualquer usuário, mesmo ele nem perceber disso. A agência inclusive teria grupos de trabalhos especializados em cada sistema operacional, como iOS, Android e BlackBerry (logo este que sempre foi conhecido por sua segurança).

Ou seja, aquela história de que o iMessage não é acessível pelo governo americano é balela. Todos nós estamos expostos a sermos vigiados pelos americanos.

Mas aí alguém irá dizer: “Quem não deve, não teme“. É verdade, provavelmente a minha vida e a sua não mudará em nada com a vigilância ou não de todas as nossas informações, e isso ainda serve para que as autoridades encontrem e prendam terroristas e pessoas que querem fazer o mal. Mas por outro lado, é assustador pensar que estamos vivendo uma era próxima do mundo criado por George Orwell no livro 1984. E é até irônico que tudo isso esteja acontecendo com a ajuda da popularização dos computadores, que cresceu na década de 80 graças à Apple, que prometia em seu comercial que “1984 não será como 1984“. Oh, ironia.

Filmes de ficção como A Rede dão uma ideia do que pode acontecer quando um país consegue centralizar a informação do mundo inteiro. Você pode achar que nada disso é novidade e que se está fazendo escândalo à toa, mas de uma maneira ou outra, isso sempre acaba influenciando no nosso futuro, direta ou indiretamente.

Reações:

0 comentários:

Postar um comentário