3 de jul de 2013

Presidência da República lança edital para comprar três batedeiras pelo preço de R$7560,00


Presidente da República, Dilma Rousseff.
Imagem: Divulgação
A Presidência da República lançou um edital em que estipula o valor de R$7560,00 para a compra de três batedeiras, segundo Radar On Line e Gazeta.

Tais batedeiras seriam destinadas a equipar as cozinhas do Palácio da Alvorada e da Granja do Torto.

Por rápida pesquisa, o jornal Gazeta informou que não é possível encontrar, nas principais redes de varejo do país, aparelhos do gênero com valor superior a R$600,00. Em busca perpetrada por colaboradores da Folha Política, foram encontradas batedeiras de marcas tradicionais com valores entre R$41,00 e R$150,00.

Emergiu a hipótese de o edital referir-se a batedeiras industriais. No entanto, não houve esclarecimentos ou declarações a respeito da procedência da hipótese ou da necessidade de compra das mesmas, caso esta hipótese esteja correta. 

Por que a Presidência precisaria de três batedeiras de capacidade industrial? Os servidores públicos não são alimentados mediante o uso de vale-refeição e vale-alimentação? Eventos - os quais são questionáveis, sobretudo se bancados com o dinheiro público, tendo em vista a necessidade de aplicação de recursos públicos para o bem da população em geral - não são, comumente, organizados pela contratação de buffet? 

Após o lançamento do edital, a Presidência da República não se pronunciou oficialmente sobre os valores. Não se sabe a respeito do responsável direto pela elaboração e pela publicação do edital, tampouco se alguma medida será tomada.

Em episódio recente, tornou-se notória a compra, posteriormente cancelada, de 40 video-games Sony - Play Station 3 Slim 3D - pelo Governo do Distrito Federal, por valores que ultrapassam o dobro dos preços de mercado. Tais dispêndios ocorrem em um contexto de clamor popular pela moralização da política e pela profícua gestão dos cofres públicos.

Qual é a sua posição a respeito? Tais dispêndios representam, ainda que de modo simbólico e pontual, o modo como o dinheiro público é administrado e gerido nas mais diversas searas do poder? Podem representar apenas mal entendidos ou casos pontuais e de exceção? Manifeste sua opinião e contribua para o diálogo democrático.

Gabriel Marques.

Com informações de Gazeta e Radar On Line.
http://www.folhapolitica.org
 
Reações:

0 comentários:

Postar um comentário