26 de jun de 2013

"O povo tem que se f....", afirma secretário acusado de corrupção


Alexandre Brollo. Imagem: Pragmatismo Político
Segundo investigação promovida pelo Ministério Público, Alexandre Brollo, ex-secretário municipal de obras de Blumenau, teria utilizado bens da prefeitura, assim como horários de serviço, para campanhas eleitorais de modo irregular.

Depois de afastado temporariamente, teria utilizado funcionários e a estrutura da pasta para a campanha do do vereador Fábio Fiedler (PSD). Segundo escutas, determinaria inclusive locais onde deveriam ser realizados trabalhos de asfaltamento, de modo a angariar votos para o candidato. 

Ademais, estaria envolvido em esquema de corrupção que teria desviado mais de R$100 milhões dos cofres públicos, além de peculato-apropriação, compra de votos e improbidade administrativa.


A indiferença no que toca à coisa pública e a à população gerou polêmica sobretudo pelo proferido em diálogo telefônico registrado em 26 de junho de 2012. 

Em resposta a um interlocutor que questionou uma declaração do vereador Fiedler, declarou: "O povo tem que se foder". A seguir, transcrição do diálogo:

Interlocutor: “Ele não pode falar essas coisas… A população tá morrendo, já tão tudo revoltado e o Fábio fala um negócio desses. Ele tem que mentir um pouco de vez em quando.”
Brollo: “Ele sabe que não vão comprar.”
Interlocutor: “Dá um toque pra ele mentir um pouco mais… Ver um pouco mais o lado humano, do povo…”
Brollo: “O povo tem que se foder. Vão se foder, vão pagar R$ 60 pila pra fazer as coisas (tomar a vacina).”
O que você pensa a respeito desta declaração e deste contexto? Pode representar a postura de parcela dos políticos brasileiros no que diz respeito às condições da população?
Lígia Ferreira é analista de sócio-mecanismos.
Com informações de Vinícius Segalla e Guilherme Baza/Uol, Pragmatismo Político.
http://www.folhapolitica.org/2013/06/o-povo-tem-que-ser-f-afirma-secretario.html#more
Reações:

0 comentários:

Postar um comentário