3 de mai de 2014

Hipocrisia: a característica humana totalmente dispensável


Por que existe a necessidade de sermos "perfeitos" para o mundo? Por que devemos fazer as coisas como a sociedade impõe? Por que devemos expor uma opinião igualitária, da forma com que todos estipularam como correta, quando nós não a consideramos correta? Por que deve existir a hipocrisia, meu caro? Por quê?

Nós, seres humanos, tivemos a honra de nascermos com a incrível capacidade de pensarmos, e mais incrível ainda é a diversidade de pensamentos, opiniões e interpretações, que variam de cabeça para cabeça. Isso existe e é demais. Durante a nossa formação, como pessoa, nos são passados valores, que também variam de criação para criação, de pais para pais, e cabeça para cabeça novamente. Nessa fase nós aprendemos certas coisas sem conseguirmos discernir o certo do errado. A nossa capacidade de interpretar e forma opiniões é praticamente nula, e aceitamos e consideramos como certo aquilo que nos é passado por nossos pais. Nesse momento nós somos alienados, seja para o "bem" ou para o "mal".

E aqui eu vos faço a primeira grande pergunta: por que, quando crescemos e adquirimos a capacidade de formar opiniões e interpretar, muitas vezes há o conflito daquilo que nos foi passado com aquilo que agora achamos ser o correto?

Esse conflito ocorre devido a diversidade de opiniões e interpretações que variam de cabeça para cabeça. As opiniões passadas por seus pais, hoje, pra você, não fazem mais sentido. Porque você está na fase de desbravar o mundo, de ser, pensar e fazer as coisas diferentes. Todos nós passamos por esta fase, inclusive seus pais. Esta fase é considerada pela sociedade como a mais difícil de lidar. Claro! É nesta fase que nós colocamos em cheque toda essa mesmice de pensamentos e ideais, e que tentamos acabar com a tal hipocrisia e o "politicamente correto". É, essas duas características andam bastante juntas, e são de um pesar incrível.

Mas, infelizmente, é nesta mesma fase que muitos vêem a dificuldade que é lutar contra isso, acabam desistindo e indo para o "lado de lá". Afinal, sabemos muito bem como a sociedade coíbe àqueles que tentam "pensar fora da caixinha". E por isso vemos tão poucos conseguirem passar por essa fase conseguindo levar seus ideais e pensamentos sem conseguirem ser coibidos. Os poucos que conseguem tentam levar isso para os novos pensadores, mesmo sofrendo "represália", quiçá, pelo resto da vida.

Entretanto, a sociedade tenta de todas as formas, incansavelmente, trazer este, que pensa diferente, para o seu lado. Sabe como, meu caro? Através da hipocrisia. Aquilo que aquele ser "diferente" pensa eles nunca conseguirão mudar, por mais que tentem. Afinal ele sabe o que é o certo e o errado para ele. Agora, aquilo que essa pessoa "diferente" vai expor como sua opinião, eles conseguem mudar. E esse é o objetivo. Agora, essa pessoa que era "diferente" não é mais tão diferente assim. E aqueles, que já eram poucos, se tornam menores ainda.

Este texto não é nenhuma incitação à algum tipo de revolução, muito menos a alguma briga. Se tem de existir uma briga, é consigo mesmo. Por que devemos cultivar uma característica tão pífia? Por que sermos iguais se pensamos diferente? Por quê?

Grande abraço,
Arthur Guedes.
http://guedesesportes.blogspot.com.br
Reações:

0 comentários:

Postar um comentário